[ 19/7/2018 ]
Queda de exportações faz Volkswagen dar ...

[ 19/7/2018 ]
BMW e EDP criam o maior corredor elétric...

[ 19/7/2018 ]
Crédito de exportação do setor automotiv...

[ 19/7/2018 ]
Encontro entre Mercosul e UE fica sem ac...

[ 19/7/2018 ]
Europa anuncia tarifa para importação de...

[ 19/7/2018 ]
Volkswagen novo Polo MSI e Virtus MSI ga...

[ 19/7/2018 ]
Fiat Argo 2019 ganha novos itens de séri...

[ 19/7/2018 ]
Fiat renova parceria com Inhotim...

[ 19/7/2018 ]
Estratégia da Mercedes-Benz para e-mobil...

[ 19/7/2018 ]
Congresso Fenabrave: os novos desafios d...

[ 18/7/2018 ]
Brasil puxa expansão global da Volkswage...

[ 18/7/2018 ]
Mercosul propõe reduzir taxas para carro...

[ 18/7/2018 ]
Mercado deve retomar volume de abril...

[ 18/7/2018 ]
Rota 2030: o que mudará no carro naciona...

[ 18/7/2018 ]
O futuro do carro nacional...

[ 18/7/2018 ]
Pesquisa e desenvolvimento em alta...

[ 18/7/2018 ]
Financiamentos de caminhões e ônibus som...

[ 18/7/2018 ]
Seis carros que podem ser lançados no Br...

[ 18/7/2018 ]
Continental lança banda para maior quilo...

[ 18/7/2018 ]
Grupo Carboni IVECO inaugura nova estrut...




 

Data: 19/7/2018

Queda de exportações faz Volkswagen dar férias coletivas a mil funcionários
A queda das exportações para a Argentina e o crescimento menor do que o esperado para as vendas no mercado interno, principalmente após a greve dos caminhoneiros, já estão levando montadoras a rever o ritmo de produção que vinha sendo acelerado desde o início do ano.

A Volkswagen vai dar férias coletivas de um mês para cerca de mil funcionários da sua maior fábrica no País, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, onde são produzidos dois dos modelos mais vendidos da marca, o Polo e Virtus.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o primeiro grupo de mil funcionários entrará em férias no dia 21 de agosto. Está prevista a dispensa de outros quatro grupos em quantidade e datas a serem definidos. Procurada, a direção da Volkswagen não quis comentar o assunto.

Dirigentes do sindicato afirmaram que a justificativa para as férias é a queda das vendas no mercado interno e a suspensão de pedidos da Argentina, país que fica com 70% de toda a exportação brasileira de veículos.

Em recente entrevista, o presidente da Volkswagen, Pablo Di Si, afirmou que o mercado vai crescer um pouco menos do que se esperava. “Antes achávamos que as vendas totais do mercado chegariam a algo entre 2,5 milhões e 2,55 milhões de unidades. Agora, esperamos algo entre 2,45 milhões e 2,5 milhões de unidades.”

Segundo ele, o motivo não é só a greve. “A Copa do Mundo também afetou, com o fluxo nas lojas caindo nos primeiros dez dias de julho”. Além disso, disse o executivo, possíveis efeitos da eleição devem chegar durante a campanha, “de forma positiva ou não”. O câmbio também é um ponto de atenção.

Ele citou ainda que a produção destinada à Argentina está sendo compensada com outros países, como Chile e Colômbia. Segundo o executivo, somando todos os destinos, a marca vai exportar cerca de 6 mil veículos a menos do que previa inicialmente.

A Volkswagen é a maior exportadora do setor automotivo e, no ano passado, vendeu 163 mil veículos para diversos países, especialmente da América do Sul.

Projeções refeitas

No início do mês, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) reviu as projeções de vendas externas do setor de 800 mil para 766 mil unidades neste ano, ou seja, 34 mil a menos.

O crescimento para a produção, antes previsto em 13,2%, foi revisado para 11,9%, para 3,02 milhões de unidades. Já a projeção para vendas internas foi mantida em 2,5 milhões de unidades (11,7% a mais que em 2017), embora a intenção da Anfavea, antes da greve, era de rever essa previsão para cima.

Outras sete montadoras consultadas nesta quarta-feira, 18, informaram não ter, por enquanto, planos de parar as fábricas ou dar férias coletivas no momento.

A General Motors informou que a fábrica de Gravataí (RS) suspenderá a produção entre os dias 30 de julho e 5 de agosto, “para adequação da linha visando a implantação de novas tecnologias”.

A Toyota informou que fará paradas programadas para manutenção, como faz anualmente. Os trabalhadores da Honda voltaram recentemente de um período de 10 dias de folgas e terão novo período de 10 dias de descanso no final do ano, também seguindo um cronograma tradicional na empresa.

Fonte : O Estado de S. Paulo/Cleide Silva e André Ítalo R.





 

Data: 19/7/2018

BMW e EDP criam o maior corredor elétrico da América Latina
O Brasil terá, até o fim do ano, uma frota de apenas 10 mil carros elétricos e híbridos (modelos com bateria e motor a combustão), mas montadoras e empresas do setor de energia querem provar que esse tipo de veículo é viável no País e pode aumentar sua participação no mercado local, a exemplo do que ocorre em países da Europa e na China.

Na segunda-feira, a fabricante de carros de luxo BMW e a empresa do setor elétrico EDP, com apoio da rede Ipiranga, vão inaugurar seis postos de recarga na Rodovia Presidente Dutra, que interliga as duas maiores capitais do País – São Paulo e Rio de Janeiro. A ação recebeu R$ 1 milhão em investimentos.

“É o maior corredor elétrico da América Latina”, diz o presidente da BMW do Brasil, Helder Boavida. Segundo ele, com três pontos de recarga em cada um dos sentidos da rodovia, a uma distância de 120 quilômetros cada, os postos possibilitam “uma viagem tranquila” pelos 430 km entre as cidades, sem risco de desabastecimento.

O segundo maior trecho com postos de recarga na região está no Uruguai, numa extensão de 310 km. São Paulo já tem um “corredor elétrico” entre a capital e Campinas, com dois postos na Rodovia dos Bandeirantes e na Via Anhanguera. Outro projeto semelhante deve ser feito entre cidades de Santa Catarina e do Paraná.

O presidente da EDP Brasil, Miguel Setas, afirma que “o objetivo do corredor é divulgar a tecnologia, permitir que os consumidores percebam as vantagens (do carro elétrico)”. Ele e Boavida fizeram ontem o trajeto do Rio a São Paulo com um modelo BMW i3, que tem um pequeno motor a combustão que auxilia na recarga das baterias. A autonomia do modelo, que custa R$ 200 mil, varia de 180 a 210 quilômetros.

“Fizemos o trecho em cerca de seis horas, com três paradas para abastecer”, informa Boavida. São necessários cerca de 25 minutos para completar 80% da carga elétrica. “O custo, diz ele, equivaleria a um quarto do que seria gasto com um carro a combustão”.

Até o fim do ano, qualquer tipo de carro elétrico poderá ter a bateria carregada nos postos gratuitamente. A partir de 2019, as empresas vão avaliar os preços a serem cobrados. Com esses seis novos pontos, a BMW soma cem postos de recarga em todo o País feitos em parceria com diversas empresas. Outras empresas, como a BYD, também tem postos próprios.

Rota

O decreto assinado pelo presidente Michel Temer no dia 6, junto com o anúncio do programa Rota 2030, o novo regime automotivo do País, prevê a redução do IPI de modelos elétricos e híbridos de 25% para 7% a 20%. A tabela com as alíquotas para cada categoria de veículo ainda não está pronta, mas fabricantes já demonstram desapontamentos.

“A medida leva em conta, por exemplo, o peso do veículo e, como a bateria equivale a metade do peso do carro, não será muito favorecido pelo IPI menor, embora a redução é sempre importante”, diz Adalberto Maluf, diretor da BYD, fabricante de caminhões e ônibus elétricos e importadora de automóveis.

Ele cita que, para obter o porcentual mais baixo, de 7%, o carro precisa pesar no máximo 1,4 mil quilos. “Nenhum automóvel à venda no País atualmente atende essa exigência”. O minicarro Twizy, da Renault, é classificado como quadriciclo, diz.

No ano passado, dos 3.296 veículos híbridos e elétricos vendidos no País, somente 60 eram 100% movidos a eletricidade. Neste ano, foram vendidas até junho 1.944 unidades, a grande maioria também de híbridos.

Fonte : O Estado de S. Paulo/Cleide Silva





 

Data: 19/7/2018

Crédito de exportação do setor automotivo acumula R$ 500 milhões
A Becomex, consultoria especializada na área tributária e operações internacionais, divulgou levantamento na terça-feira, 17, revelando que há créditos acumulados de R$ 500 milhões do Reintegra, referentes aos anos de 2016, 2017 e primeiro trimestre de 2018, que ainda podem ser resgatados pelas empresas exportadoras do setor automobilístico.

O Reintegra prevê a devolução de uma parcela dos impostos pagos na cadeia produtiva às empresas exportadoras de bens manufaturados no Brasil, que podem reaver parcial ou integralmente o resíduo tributário existente na sua cadeia de produção.

Desde 1º de junho, por conta da greve dos caminhoneiros, o governo federal cortou de 2% para 0,1% a alíquota do Reintegra para tornar viável a redução de R$ 0,46 do preço do litro do diesel e colocar fim no movimento que paralisou praticamente toda a economia brasileira.

A nova regra, segundo a Becomex, aumenta as perdas das empresas exportadoras do Brasil. Ainda de acordo com o estudo da consultoria, a indústria brasileira, somando os demais setores produtivos, ainda pode recuperar cerca de R$ 9,5 bilhões acumulados no Reintegra, referentes aos cinco anos anteriores à nova decisão.

De acordo com o vice-presidente da Becomex, Rogério Borili, as empresas exportadoras têm o prazo de cinco anos para requerer os créditos do benefício: “Esse corte na alíquota impacta na competitividade das empresas. Por isso, o setor não pode esquecer o passado e deve recuperar o saldo que ainda tem direito. Após o prazo, esse crédito volta para os cofres do governo e deixa de ser utilizado para investimentos dentro da empresa”.

Borili alerta também para o fato de as empresas poderem acionar a Justiça para reaver os créditos do Reintegra com a alíquota integral: “Já existem processos com ganho para o contribuinte nessa causa. A Constituição Federal veda o aumento de tributos no mesmo exercício financeiro em que tenha sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou, bem como antes de decorridos 90 dias da data em que foi publicada a lei que os instituiu ou aumentou. Portanto, a alíquota de 2% para a apuração do Reintegra deveria ser mantida para todas as exportações realizadas até 31 de agosto de 2018”.

Ainda segundo Borili, esse ponto tem provocado uma corrida das exportadoras ao judiciário para que possam manter a alíquota de 2%. “Essa é a hora de buscar os créditos de até cinco anos, ou seja, desde 2013”, reforça.

Recentemente, a Becomex conseguiu recuperar cerca de R$ 20 milhões em créditos do Reintegra em apenas uma das empresas ligadas à indústria automobilística. Além desse total, essa mesma empresa ainda tem mais de R$ 50 milhões a resgatar, referentes aos anos de 2015, 2016 e 2018.

Fonte : AutoIndústria





 

Data: 19/7/2018

Encontro entre Mercosul e UE fica sem acordo
Terminou sem consenso a reunião de ministros para discutir o acordo comercial entre Mercosul e União Europeia nessa quarta-feira, 18, em Bruxelas, na Bélgica. Um novo encontro, que não estava previsto na agenda inicialmente, foi marcado para hoje, mas a avaliação de representantes do governo brasileiro é que dificilmente um acordo será fechado desta vez.

Segundo fontes do governo brasileiro, os representantes europeus se mostraram irredutíveis em relação às exigências feitas para a área agrícola, como a determinação de cotas de importação de produtos como carne e etanol do Mercosul, o longo prazo de redução de tarifas e a cobrança de tarifas mesmo dentro das cotas.

A proposta defendida pela União Europeia é praticamente a mesma apresentada em janeiro deste ano e as autoridades que participaram da reunião não demonstraram intenção de ceder, o que inviabilizaria um consenso, na visão dos integrantes do Mercosul.

O governo brasileiro tinha esperanças de que ao menos um pré-acordo seria firmado neste encontro, com os principais pontos já fechados, faltando só o detalhamento técnico. Pode ter sido a última chance de bater o martelo no governo de Michel Temer. A preocupação é que, com o início da campanha eleitoral no Brasil, novas negociações não sejam possíveis e a conclusão do acordo fique para o próximo presidente.

Sete ministros dos países do Mercosul foram a Bruxelas com mandato para fechar um acordo "equilibrado", o que, para o bloco, significaria uma redução das exigências feitas pelos europeus na parte agrícola.

Segundo o Estadão/Broadcast apurou, os ministros do bloco sul-americano sinalizaram que poderiam melhorar a proposta já apresentada para temas em que os europeus exigiam maiores vantagens, como reduzir o prazo para zerar tarifas na venda de veículos para o Mercosul.

Além disso, poderiam aceitar uma lista de produtos com denominação de origem. Com isso, produtos como queijo parmesão e conhaque só poderiam ser vendidos sob esses nomes se fossem feitos nas regiões europeias em que foram criados.

Os sul-americanos, no entanto, deixaram claro que qualquer movimentação nessas áreas estaria condicionada à melhora da proposta agrícola da comissão europeia. "Não encontramos a mesma disposição do lado europeu, o equilíbrio não existe. O cenário não é muito animador", admitiu um dos participantes da reunião, sob condição de anonimato.

Fonte : Zero Hora/O Estado de S. Paulo





 

Data: 19/7/2018

Europa anuncia tarifa para importação de aço
A União Europeia (UE) anunciou ontem medidas de salvaguarda provisórias sobre as importações de aço. O objetivo, segundo a Comissão Europeia, é evitar que o aço de outros países siga para o mercado do bloco, como resultado das tarifas recentemente impostas pelos Estados Unidos. “As importações tradicionais de produtos de aço não serão afetadas”, afirmou a UE.

As salvaguardas entram em vigor hoje. Em comunicado, a comissária para Comércio da UE, Cecilia Malmström, disse que as tarifas americanas têm provocado mudanças nas rotas comerciais que podem resultar em “sério dano” para siderúrgicas e trabalhadores na Europa.

Ainda assim, ela argumenta que a decisão garante que o mercado da UE siga aberto. “Estou convencida de que isso garante o equilíbrio entre o interesse dos produtores e consumidores de aço da UE, como o setor automotivo e o de construção, que dependem de importações”.

As medidas atingem 23 categorias de produtos de aço. “Tarifas de 25% serão impostas apenas quando as importações excederem a média de importações nos últimos três anos”, explica a nota. As salvaguardas se aplicam a todos os países, com exceção de alguns em desenvolvimento. As tarifas ficam em vigor por no máximo 200 dias – a Comissão Europeia deve tomar a decisão final até o início de 2019.

Brasil

A decisão da UE já era esperada, com o avanço da guerra comercial entre EUA e China, segundo o presidente executivo do Instituto Aço Brasil (IABr), Marco Polo de Mello Lopes. “Os países estão a toque de caixa correndo para defenderem seus mercados e o Brasil está na contramão”.

Ele disse que no início do ano a Camex chegou a aprovar medidas antidumping para laminados de aço, mas suspendeu sua aplicação por medo de retaliação da China – o governo chinês acabou impondo tarifas ao frango brasileiro de qualquer forma.

Fonte : O Estado de S. Paulo





 

Data: 19/7/2018

Volkswagen novo Polo MSI e Virtus MSI ganham opção de câmbio automático de seis marchas
A Nova Volkswagen dá mais um importante passo rumo à liderança do mercado brasileiro. A marca apresenta o Novo Polo e Virtus equipados com o motor 1.6 MSI com câmbio automático de seis marchas, passando a atuar em uma importante faixa de mercado.

Os modelos já estão chegando às cerca de 520 concessionárias como parte da linha 2019 do Novo Polo e do Virtus. Eles integram a lista de 20 lançamentos previstos até 2020, dentro do conceito da Nova Volkswagen e da maior ofensiva de produtos da história da empresa no Brasil, como resultado de investimentos de R$ 7 bilhões no País até 2020.

As novas opções do Novo Polo MSI e do Virtus MSI atendem a várias demandas de mercado, que vão desde clientes que procuram ótima relação custo-benefício e conforto a pessoas com deficiência (PCD).

A transmissão automática de seis marchas é associada ao motor 1.6l da família EA211, com até 117 cv. A novidade chega para complementar a oferta da linha. O Novo Polo passa a contar com cinco configurações: 1.0 MPI, 1.6 MSI, 1.6 MSI com transmissão automática, Comfortline 200TSI e Highline 200TSI. O Virtus agora é oferecido em quatro opções: MSI, MSI com transmissão automática, Comfortline 200TSI e Highline 200TSI.

As versões Comfortline e Highline do Novo Polo e do Virtus contam com o conjunto mecânico do motor TSI de até 128 cv e transmissão automática de seis velocidades.

Os modelos têm três anos de garantia de fábrica sem limite de quilometragem e são oferecidos em sete cores: Preto Ninja, Branco Cristal e Vermelho Tornado (sólidas) e Cinza Platinum, Azul Night, Prata Sirius e Prata Tungstênio (metálicas).

A transmissão automática que equipa o Novo Polo e o Virtus com motor MSI possui como principais características alta robustez, rápidas trocas de marcha, elevado nível de conforto e boa eficiência energética. Denominada AQ160-6F, a transmissão automática traz relações de marcha e de diferencial específicas, especialmente definidas para essa aplicação.

Essa transmissão foi projetada para carros com motores transversais e possui engrenagens planetárias, com acoplamento por conversor de torque. Caracterizado pela suavidade nas arrancadas e trocas rápidas de velocidades, o câmbio AQ160-6F conta com bloqueio do conversor de torque em diversas condições de uso, o que evita o deslizamento interno do componente, reduzindo o consumo de combustível.

A transmissão oferece a opção de trocas manuais sequenciais Tiptronic – por meio da alavanca de câmbio ou pelas aletas atrás do volante multifuncional (item de série na linha 2019) – e também conta com o modo de acionamento esportivo (posição “S”), que altera os momentos das trocas de marchas para rotações mais elevadas, proporcionando aceleração mais rápida, para um comportamento mais dinâmico do veículo.

O motor 1.6 MSI que compõe a oferta do Novo Polo e do Virtus (também combinada ao câmbio manual de 5 marchas) é da família EA211, com quatro cilindros e 16 válvulas (4 válvulas por cilindro). Total Flex, tem 1.598 cm³ de cilindrada e possui bloco e cabeçote feitos de alumínio, o que colabora para reduzir o peso do conjunto.

Com quatro válvulas por cilindro, sendo duas para admissão e duas para escape, o motor conta com duplo comando de válvulas integrado à tampa, com variação na admissão, proporcionando mais torque em baixa rotação e melhor desempenho.

O motor 1.6l MSI tem duplo circuito de arrefecimento, que permite temperaturas diferentes para o bloco e para o cabeçote – o sistema utiliza duas válvulas termostáticas. O coletor de escape forma uma peça única com o cabeçote. Resultado: vantagens de dirigibilidade na fase fria do motor e, consequentemente, menor consumo de combustível.

O sistema e-Flex de partida a frio, que dispensa a utilização do tanque auxiliar para gasolina, é outro destaque nessa motorização. Esse recurso oferece maior conforto e praticidade ao motorista, além de partidas mais rápidas nos dias de baixa temperatura.

A potência máxima é de 117 cv (86 kW) com etanol e 110 cv (81 kW) com gasolina a 5.750 rpm, com torque máximo de 162 Nm (16,5 kgfm) com etanol e 155 Nm (15,8 kgfm) com gasolina, ambos a 4.000 rpm.

Com esse motor e abastecido com etanol (E100), o Novo Polo MSI com transmissão automática acelera de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos e atinge 188 km/h de velocidade máxima (etanol). O Virtus MSI com transmissão automática registra 10,8 segundos e 190 km/h, respectivamente.

Produzidos em São Bernardo do Campo (SP), Novo Polo e Virtus saem de fábrica muito bem equipados de série, com direção com assistência elétrica, ar-condicionado, vidros elétricos nas quatro portas (os dianteiros possuem função “um-toque” para fechamento e abertura), travas elétricas, faróis de dupla parábola e chave tipo “canivete” com controle remoto.

Também estão incluídos de série computador de bordo, para-sóis iluminados para motorista e passageiro, tomada de 12V no console central, suporte para celular no painel com entrada USB para carregamento, regulagem de altura para o banco do motorista, entre outros. Outro importante item de série no Novo Polo e no Virtus 1.6 MSI é o sistema Media Plus, que tem entradas USB e SD-card, conexão Bluetooth, rádio AM-FM e leitor de arquivos mp3.

Como opcional para o Novo Polo e o Virtus MSI estão disponíveis dois pacotes: o primeiro, “Interatividade”, inclui sistema de infotainment Composition Touch, "Park pilot" (sensores de estacionamento traseiros), roda de liga leve de 15” com pneus 195/65 R15 e retrovisores externos com ajuste elétrico e função “tilt down”.

Com tela colorida sensível ao toque de 6,5”, o sistema de infotainment Composition Touch traz entradas USB, para SD-card e conexão Bluetooth. Ele permite conectividade por meio do App-Connect (Android Auto, Apple CarPlay e Mirrorlink), comando por voz e acesso ao “Car Menu”, com ajustes do veículo por meio da tela.

O segundo pacote, “Safety”, traz o Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) e todos os recursos atrelados a ele, como Controle de tração (ASR), Bloqueio Eletrônico do Diferencial (EDS) e Assistente de Partida em subida/descida (HHC).

Com a Estratégia Modular MQB, a Volkswagen consegue reduzir o peso total do veículo ao mesmo tempo em que constrói o Novo Polo e o Virtus de maneira que eles estejam entre os modelos mais seguros do Brasil. Mais do que isso: a MQB garante elevado conforto de rodagem e grande desempenho dinâmico.

A combinação de baixo peso e segurança elevada só é possível com a adoção de tecnologias inovadoras de fabricação. A maior parte da estrutura da carroceria do Novo Polo e do Virtus é formada por aços especiais, de alta e ultra-alta resistência.

A estrutura do assoalho, na Estratégia Modular MQB, possui grande aplicação de aço conformado a quente, extremamente resistente – cerca de quatro vezes mais rígida que uma chapa de aço convencional – colabora para reduzir o peso do veículo, ao mesmo tempo em que melhora o desempenho do veículo em testes de colisão, aumentando a segurança na cabine. A coluna de direção deformável contribui adicionalmente para a segurança, reduzindo ainda mais o risco de ferimentos para o motorista.

Todas as versões do Novo Polo e do Virtus são equipadas com quatro airbags – dois dianteiros e dois laterais. De grandes dimensões, as bolsas laterais protegem para cabeça e tórax e restringem o movimento do corpo durante um impacto, elevando significativamente a segurança dos ocupantes.

Também fazem parte da lista de série os sistemas ISOFIX® e top-tether, que garantem mais segurança e facilidade para fixação de cadeirinhas infantis.

O Volkswagen Novo Polo e o Virtus conquistaram classificação máxima nos testes realizados pelo Latin NCAP, que avalia carros novos vendidos na América Latina e Caribe. Com isso, os modelos estão entre os mais seguros automóveis à venda no Brasil, com 5 estrelas na proteção para adultos e crianças.

Os testes do Latin NCAP incluem análise de impacto frontal – a 64 km/h contra uma barreira deformável descentrada (40%) –, impacto lateral (contra uma barreira deformável montada em um trenó a 50 km/h contra o veículo) e impacto lateral contra poste – o veículo é lançado lateralmente a 29 km/h em direção a um poste.

A classificação da proteção infantil é oferecida por meio da avaliação do comportamento dinâmico dos sistemas de retenção infantil (as “cadeirinhas de criança") nos testes frontal e lateral, além da facilidade e segurança na instalação desses dispositivos.

Adicionalmente, o Latin NCAP atribuiu ao Novo Polo e ao Virtus o Advanced Award, destinado a veículos que atendem critérios de proteção a pedestres – os modelos Volkswagen foram os primeiros modelos comercializados no Brasil a receberem esse prêmio. A avaliação é feita com base em testes que simulam situações de acidentes envolvendo pedestres, conforme padrões estabelecidos por legislação europeia.

A Volkswagen é a marca com os melhores índices de reparabilidade do País, de acordo com o ranking Car Group 2018, do CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária). O Novo Polo e o Virtus são exemplos disso – os modelos têm o melhor índice geral de reparabilidade entre todos os veículos participantes, com classificação 10, a mesma do up! e do cross up!.

Quanto menor a pontuação (em uma escala que vai de 10 a 60), menor será o tempo e o custo de reparo do veículo. O Novo Polo mantém, dessa forma, o melhor resultado não apenas dentro da categoria, mas também entre todos os veículos de diferentes segmentos avaliados pelo CESVI Brasil (base junho de 2018).

Fonte : O Brasil Sobre Rodas





 

Data: 19/7/2018

Fiat Argo 2019 ganha novos itens de série e opcionais
Lançado há pouco mais de um ano, o Argo já tem quase 60 mil unidades comercializadas desde seu lançamento. O modelo alcançou em junho a sexta posição entre os carros mais vendidos do Brasil.

Em um segmento competitivo como o dos hatches compactos, é importante trazer novidades de acordo com a demanda do mercado para cada versão, evoluindo e até antecipando as necessidades dos clientes. Assim, as versões 1.0, Drive 1.0, Drive 1.3, Drive 1.3 GSR, HGT 1.8 e HGT 1.8 Automático do Argo chegam à linha 2019 reformuladas. As versões Precision 1.8 e Precision 1.8 Automático continuarão disponíveis como 2018 e em breve também serão atualizadas.

Entre as novidades do Argo 2019 estão novos opcionais e novos itens de série. Atendendo às solicitações de mercado, o sistema Start & Stop passa a ser oferecido como opcional nas versões Drive 1.0 e Drive 1.3, permitindo democraticamente que o cliente opte por contar com o item ou não. O Argo Drive 1.3 GSR e as versões 1.8 continuam com o sistema de série.

A versão de entrada recém-lançada conta agora como opcional o novo Kit Visibilidade, com desembaçador, limpador e lavador do vidro traseiro com intermitência. Além dele, ainda estão disponíveis os já conhecidos Kits Rádio Connect e Convenience. De série, a versão já vem equipada com itens como ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros, trava elétrica, direção elétrica, computador de bordo, volante com regulagem de altura, ESS (sinalização de frenagem de emergência) e rodas de aço estampado aro 14”.

Equipada com o motor Firefly 1.0 de três cilindros, a versão ganha importantes novidades. De série, o alarme antifurto e, como opcional, Controle de Tração (TC), Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) e sistema Hill-Holder. Traz ainda equipamentos como direção elétrica progressiva, ar-condicionado, banco do motorista com ajuste de altura e ISOFIX. Entre os opcionais, estão disponíveis na linha 2019 os kits Parking, Rádio Connect e Convenience, já disponíveis na linha anterior, além do novo Kit Tech, com sistema Start & Stop, Controle de Tração (TC), Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) e sistema Hill-Holder, e o Kit Multimídia 9” com a central multimídia com tela de 9″ touchscreen, comandos de voz Bluetooth, áudio streaming, AUX/USB/MP3, rádios AM/FM, volante com comandos de áudio e telefone, além de segunda porta USB para passageiros traseiros.

A recém-lançada central multimídia com touch screen de 9”, a maior do mercado para o segmento, conta com inúmeras funções que facilitam a vida a bordo, incluindo o espelhamento para iOS e Android, reconhecimento de voz e integração com comandos no volante. Além disso, ela traz conexão Bluetooth e audio streaming, conectividade Wi-Fi/hotspot e reconhecimento de voz. Com integração a comandos no volante, essa central de 9” das versões Drive 1.0, Drive 1.3 e Drive 1.3 GSR do Argo 2019 possui 16Gb de memória interna para armazenamento de fotos, vídeos e músicas e ainda oferece calendário, calculadora e agenda. Vale dizer que as versões Precision e HGT continuam com a central multimídia presente desde o lançamento do modelo.

A versão também conta com a novidade do alarme antifurto de série e com os novos opcionais Controle de Tração (TC), Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) e sistema Hill-Holder. O modelo, com motor Firefly 1.3, pode ser equipado ainda com os kits de opcionais tradicionais Parking, Connect e Convenience. Além desses, o cliente pode adquirir os novos kits Multimídia 9” e Tech que também estão disponíveis para a versão Drive 1.0.

Assim como no Drive 1.3, a versão com câmbio GSR conta com alarme antifurto de série como novidade, além de outros itens, como Controle de Tração (TC), Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), sistema Hill-Holder, a função Auto-Up Shift Abort, que garante retomadas mais vigorosas, controle de velocidade de cruzeiro, apoia braço para o motorista, vidro elétrico traseiro e retrovisores externos elétricos com função tilt down e repetidores laterais. Como opcionais, são oferecidos o Kit Multimídia 9”, o Kit Parking e o Kit Connect.

A versão com acabamento, calibração de suspensão e controle de estabilidade esportivos passa a contar na linha 2019 com sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico de série. Os clientes podem optar ainda por adquirir como opcionais a câmera de ré, side bags dianteiros e os pacotes Stile e Tech.

Com máximo conforto com o câmbio automático de seis marchas, a versão, assim como a manual, traz de série o sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico e conta com os mesmos opcionais: Kit Stile, Kit Tech, side bags dianteiros e câmera de ré.

A linha 2019 do Argo possui como opções as cores sólidas Branco Banchisa, Preto Vulcano e Vermelho Alpine, a perolizada Branco Alaska e as metálicas Prata Bari, Preto Vesúvio e Cinza Scandium. As versões HGT não estão disponíveis em Preto Vulcano e Vermelho Alpine, mas possuem como opções os tons sólidos Azul Portofino e o Vermelho Modena.

Confira os preços da nova linha do Argo 2019:

– Fiat Argo 1.0 – R$ 44.990,00 (preço de oferta sugerido)
– Fiat Argo Drive 1.0 – R$ 47.990,00 (preço de oferta sugerido)
– Fiat Argo Drive 1.3 – R$ 53.990,00
– Fiat Argo Drive 1.3 GSR – R$ 59.590,00
– Fiat Argo HGT 1.8 – R$ 65.990,00
– Fiat Argo HGT 1.8 AT6 – R$ 71.990,00

Fonte : Revista Torque





 

Data: 19/7/2018

Fiat renova parceria com Inhotim
No mês de comemoração de 42 anos da chegada da Fiat ao Brasil, a marca renova parceria com Inhotim, um dos maiores centros de arte contemporânea e jardim botânico a céu aberto do mundo.

A união traz a Fiat como carro oficial do Inhotim, com uma frota renovada de 12 veículos, que incluem os modelos Argo, Cronos, Toro, Dòblo e Strada.

A entrega dos veículos ocorreu nesta terça-feira (17), no Polo Automotivo Fiat, em Betim, com a presença do presidente da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) para a América Latina, Antonio Filosa, e do diretor executivo do Instituto Inhotim, Antonio Grassi.

“É um orgulho para a Fiat ser o carro oficial do Inhotim, um espaço único no mundo que conecta pessoas, arte e meio ambiente”, afirma Filosa. Por sua vez, Grassi destacou a importância da parceria para a sustentabilidade do Inhotim.

"A Fiat sempre foi uma grande parceira do Inhotim, contribuindo para o crescimento e o reconhecimento da instituição como um museu referência no Brasil e no mundo. Ficamos muito felizes e honrados em renovar essa parceria", comemora o diretor executivo.

Fonte : O Tempo





 

Data: 19/7/2018

Estratégia da Mercedes-Benz para e-mobilidade vai muito além dos veículos
Os tempos em que as montadoras se preocupavam somente em vender produtos definitivamente chegaram ao fim. E a eletrificação é a pá de cal que faltava para enterrar de vez um modelo de negócio que não se sustenta mais, principalmente quando se fala de veículos comercias.

Cada vez mais, operadores pressionados pelos custos e concorrência, exigem soluções praticamente on-demand.

Assim, a estratégia eDrive@VANs da Mercedes-Benz não visa somente a eletrificação da frota de veículos, mas também a configuração de uma solução ampla e customizada para as necessidades dos clientes. Isso inclui, por exemplo, orientação na escolha do veículo, ferramentas como o App eVAN Ready e o custo total de operação (TCO).

Outro fator também decisivo é a análise das condições técnicas nas instalações dos frotistas. Enfim, a integração de um conceito de infraestrutura de carga inteligente dá as bases para a concorrência sustentável e a conservação dos recursos com uma frota comercial.

O que também desempenha papel importante nessa implementação é a criação de soluções em conjunto com clientes, o “Customer Co-Creation”. Tudo começa com uma avaliação abrangente, seguida pelo desenvolvimento em conjunto de soluções individuais em estreita colaboração com o cliente e fornecimento de orientação por especialistas. Isso cobre todos os aspectos individuais, desde a seleção do veículo até a infraestrutura de carga e o aprimoramento necessário das redes de energia nos respectivos locais.

Dois exemplos de “Customer Co-Creation” são os projetos pilotos em andamento nas empresas de logística Hermes e Amazon Logistics. A parceira Hermes da Alemanha está colocando 1.500 vans elétricas Mercedes-Benz em serviço. A integração de uma infraestrutura de carga eficiente e a gestão de carga controlada por software fazem parte desse piloto.

Até o final do ano, a Amazon Logistics terá 100 eVitos em sua frota nas instalações de Bochum e Düsseldorf, na Alemanha. Além disso, a Amazon e a Mercedes-Benz Vans estão trabalhando com outros parceiros em um conceito de operador de ampla autonomia para as instalações de Bochum. Juntamente com a infraestrutura de carga, isso cobre a gestão do espaço de estacionamento e a detecção automatizada da situação do veículo.

Os serviços digitais fornecidos pelo Mercedes PRO Connect oferecem novas formas de gestão de frota economicamente eficientes. Eles incluem a gestão das revisões e da manutenção, bem como a análise do estilo de condução, comunicações otimizadas entre o gerente da frota e o motorista e verificação por celular para garantir que as portas e janelas do veículo estejam fechadas. Além disso, a Mercedes-Benz Vans está oferecendo, pela primeira vez, um serviço novo para a gestão inteligente da carga que também permite uma visão geral da situação de cada veículo e com o aplicativo eVAN Ready, o operador verifica, online, como está o desempenho dos modelos elétricos em suas frotas.

Como se vê, e a eletrificação propicia, as montadoras deixaram de ser “montadoras”, indo muito além do produto, oferecendo soluções e serviços customizados.

Fonte : Futuretransport





 

Data: 19/7/2018

Congresso Fenabrave: os novos desafios do setor.
O Congresso Fenabrave deste ano será realizado nos dias 7 e 8 de agosto no Transamérica Expo Center, em São Paulo, e terá por tema principal “Resiliência: o mundo é digital e o relacionamento é humano”. No mesmo espaço acontecerá a ExpoFenabrave, que terá mais de 50 empresas expositoras nesta 28ª edição, que apresentarão produtos e serviços específicos para o setor de distribuição.

Dentre elas, as patrocinadores Ouro, B3 e OLX, a Embrapa e Chevrolet, que são apoiadoras, além da AutoAvaliar, Grupo Canopus, CCM Tecnologia, DealerNet, Linx, NBS, Petronas, Syonet, Toyota e Kia.

“É o melhor momento para os empresários do setor conhecerem as novidades e as oportunidades que podem agregar ao seu negócio, em busca de novas fontes de receita. Está tudo em um único lugar”, comenta Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave.

O maior e mais importante encontro de negócios do setor da distribuição de veículo da América Latina deve reunir mais de 3 mil pessoas, entre congressistas e visitantes e, pelo 11º ano consecutivo, o Banco Itaú é o patrocinador máster do evento.

A programação do congresso abrange 26 palestras, das quais cinco internacionais e duas sobre economia, que trarão aos empresários e colaboradores das concessionárias as novidades em gestão, troca de experiências e atualizações tecnológicas.

“Nestes dois dias do congresso, os participantes estarão atentos e focados em assuntos extremamente relevantes, buscando a preparação de suas equipes para os desafios que estão se desenhando no horizonte do setor, mas, também, ouvindo e conhecendo o que há de mais atual sobre gestão, economia, processos de vendas e sobre relacionamento humano”, explica Valdner Papa, coordenador temático do 28º Congresso & ExpoFenabrave.

Além dos workshops temáticos, o evento da Fenabrave contará com mais uma edição do Encontro dos Vendedores, Consultores Técnicos e Gestores de Concessionárias. Realizado em parceria com o Sincodiv/SP, Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado de São Paulo, o encontro deve repetir o sucesso dos dois anos anteriores, reunindo centenas de participantes.

Durante o evento, também serão revelados os vencedores dos prêmios Marca do Ano e Associação de Marca do Ano, eleitos a partir da 23ª Pesquisa Fenabrave de Relacionamento com as Marcas, que vem sendo realizada, desde maio, entre as Concessionárias de todo o Brasil.

Fonte : AutoIndústria