[ 21/7/2017 ]
Volkswagen tenta reconquistar simpatia d...

[ 21/7/2017 ]
Nissan inicia segundo turno no Complexo ...

[ 21/7/2017 ]
MAN lança chassi leve para carro-forte c...

[ 21/7/2017 ]
Prazo para novas regras sobre produtos p...

[ 21/7/2017 ]
Governo eleva PIS/Cofins sobre combustív...

[ 21/7/2017 ]
Novo prazo anima...

[ 21/7/2017 ]
Concessionária Paulista comemora vendas ...

[ 21/7/2017 ]
Hyundai New Tucson ganha nova versão...

[ 21/7/2017 ]
CNT e Sest Senat celebram uma década do ...

[ 21/7/2017 ]
“Brasil é um país cada vez mais caro”, d...

[ 20/7/2017 ]
Scania fecha primeiro semestre com cresc...

[ 20/7/2017 ]
Visão crítica da OMC incentiva agenda de...

[ 20/7/2017 ]
Argentina é o país que mais compra do Br...

[ 20/7/2017 ]
Com arrecadação menor, governo apela par...

[ 20/7/2017 ]
Venda de aço na distribuição recua 11% n...

[ 20/7/2017 ]
Renault anuncia novo lote da pré-venda d...

[ 20/7/2017 ]
BMW confirma M4 CS de 460 cv para o Bras...

[ 20/7/2017 ]
Caminhão para bater recordes...

[ 20/7/2017 ]
Primeira unidade do novo Volkswagen Polo...

[ 20/7/2017 ]
Audi proporciona na Alemanha experiência...




 

Data: 19/4/2017

Volkswagen dá férias coletivas para 3,6 mil trabalhadores em Taubaté
 
A Volkswagen determinou que 3.600 trabalhadores da fábrica de Taubaté entrem em férias coletivas a partir de ontem, terça¬feira (18).

Segundo o Sindicato de Metalúrgicos local, a maioria dos funcionários retomará as atividades entre 28 de abril e 2 de maio.

Cerca de 260 trabalhadores ficarão de férias coletivas por 20 dias, retornando à fábrica em 8 de maio. A empresa diz que as férias coletivas têm como objetivo adequar sua produção.

Em fevereiro, a produção de veículos no Brasil cresceu 14,7% relação a janeiro, de acordo com dados da Anfavea, associação que representa as montadoras.

Já as vendas de veículos novos atingiram 135,7 mil unidades em fevereiro, queda de 7,8% sobre janeiro e recuo de 7,6% na comparação anual. No primeiro bimestre, as vendas de novos foram de 282,9 mil veículos, 6,4% menos que um ano antes.

Fonte : Valor Econômico/Folhapress