[ 18/10/2017 ]
Ford comemora 60 anos de produção do cam...

[ 18/10/2017 ]
Montadoras revelam otimismo na Fenatran...

[ 18/10/2017 ]
Regulamentação do Rota 2030 deve sair ai...

[ 18/10/2017 ]
Aumento nas vendas de implementos aponta...

[ 18/10/2017 ]
Randon retoma as obras da fábrica de Ara...

[ 18/10/2017 ]
TP Industrial do Brasil lança novos pneu...

[ 18/10/2017 ]
Especial seguros: os extras da apólice v...

[ 18/10/2017 ]
Especial seguros: mercado tem planos sob...

[ 18/10/2017 ]
Saiba que fazer se o seu veículo ficar i...

[ 18/10/2017 ]
Kia Motors atinge vendas globais de 252....

[ 17/10/2017 ]
Iveco investirá US$ 120 milhões em novos...

[ 17/10/2017 ]
Fabricantes de motores retomam otimismo ...

[ 17/10/2017 ]
Grandes fabricantes de máquinas agrícola...

[ 17/10/2017 ]
Risco climático estimula a contratação d...

[ 17/10/2017 ]
Carros de luxo blindados têm lance inici...

[ 17/10/2017 ]
Mercado de peças é terra de ninguém...

[ 17/10/2017 ]
No seu carro, as cores da Amazônia ...

[ 17/10/2017 ]
Fras-le vai inaugurar planta na China...

[ 17/10/2017 ]
Mercedes-Benz exporta mais de 300 ônibus...

[ 17/10/2017 ]
Noruega pretende taxar carros elétricos...




 

Data: 20/4/2017

Câmara rejeita projeto de isenção a taxa de renovação da CNH de caminhoneiros
 
A Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados rejeitou proposta que previa a isenção de taxas de renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para os caminhoneiros (PL 1433/15). O projeto tem caráter conclusivo e será arquivado, a não ser que haja recurso para ser decidido pelo Plenário da Câmara.

O relator do projeto, deputado Hildo Rocha (PMDB-MA), apresentou parecer pela rejeição do texto. “Somadas às outras gratuidades concedidas em lei por assembleias estaduais, essa isenção aumenta o risco de precarização dos serviços por falta de recursos suficientes, o que pode resultar em aumento da taxa cobrada dos demais motoristas”, justificou o parlamentar.

Isenção

A isenção, proposta pelo ex-deputado Marcelo Belinati, seria aplicada a qualquer condutor profissional que exerça atividade de motorista de caminhão e acrescentaria a previsão no Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97). Antes da análise na Comissão de Finanças, o projeto também foi rejeitado na Comissão de Viação e Transportes.

Fonte : Agência Câmara Notícias