[ 21/8/2017 ]
Ford cancela 80 demissões e abre PDV em ...

[ 21/8/2017 ]
Volkswagen pode importar o Atlas para a ...

[ 21/8/2017 ]
Indústria mais "tecnológica" tem avanço ...

[ 21/8/2017 ]
Consórcio de veículos volta a crescer...

[ 21/8/2017 ]
Fiesp prevê fim de incentivos para “camp...

[ 21/8/2017 ]
Kia é responsável pelo transporte oficia...

[ 21/8/2017 ]
Fiat Strada 2018 tem preço entre R$ 47.2...

[ 21/8/2017 ]
Iveco inaugura quinta concessionária no ...

[ 21/8/2017 ]
Após 30 anos, a Puma ensaia volta às rua...

[ 21/8/2017 ]
Contran antecipa implementação da cartei...

[ 18/8/2017 ]
Segunda geração do Tiguan virá para brig...

[ 18/8/2017 ]
Movida faz aquisição e cria marca premiu...

[ 18/8/2017 ]
Cai tarifa de importação para 4,9 mil pr...

[ 18/8/2017 ]
Sinais que afetam a produção de petróleo...

[ 18/8/2017 ]
Produção de aço bruto em julho sobe 1% a...

[ 18/8/2017 ]
Funcionários da Mercedes-Benz entram em ...

[ 18/8/2017 ]
Novo Volvo XC60 tem isenção de IPI para ...

[ 18/8/2017 ]
Ford Caminhões oferece contratos de manu...

[ 18/8/2017 ]
“Kwid número 1”: Comprador recebe veícul...

[ 18/8/2017 ]
Super rodotrem está pronto...




 

Data: 18/5/2017

Argentina anuncia benefício fiscal para veículos elétricos e híbridos
 
O governo argentino anunciou a isenção do equivalente ao nosso Imposto de Importação na venda de automóveis 100% elétricos que forem montados no país vizinho em regime CKD, ou seja, com todas as peças importadas e montagem local - o benefício também vale para modelos que chegarem importados com montagem parcial. Além disso, a Argentina baixou de 35% para 2% o tributo para elétricos que desembarcarem prontos no país e redução para 5% para os híbridos.

A medida tem validade de três anos e vale somente para montadoras que têm fábrica estabelecida em território argentino, com limite de 6.000 unidades anuais. Veículos com peso inferior a 550 kg também ficam fora do benefício, que tem o objetivo de estimular as vendas dos "carros verdes", com zero emissões (no caso dos elétricos) ou emissões baixas (híbridos, que combinam motor elétrico e a combustão).

Hoje, o único automóvel do tipo comercializado no país é o Toyota Prius, também vendido no Brasil pelo preço sugerido de R$ 126,6 mil. De acordo com o jornal "Clarín", a Argentina já homologou os elétricos Nissan Leaf e Renault Kangoo Z.E., além do Volkswagen Touareg híbrido, que legalmente já poderiam ser oferecidos no mercado local, mas não estão ainda à venda por conta justamente dos preços elevados - que o incentivo fiscal vai baixar.

O Brasil também isenta os elétricos do Imposto de Importação e não exige que suas montadoras tenham plantas estabelecidas no país. Já a alíquota para os híbridos varia entre 0% e 7%.

Fonte : Auto Estrada/Alessandro Reis