[ 20/10/2017 ]
Kia investe R$ 165 milhões para renascer...

[ 20/10/2017 ]
Com fim do Inovar-Auto, importadoras de ...

[ 20/10/2017 ]
Usinas já veem oportunidade com carro el...

[ 20/10/2017 ]
Petrobras anuncia alta de 0,20% no preço...

[ 20/10/2017 ]
Brasil avança em ranking de expansão da ...

[ 20/10/2017 ]
Montadora chinesa Chery quer vender 50% ...

[ 20/10/2017 ]
Novo centro de simulação da FCA acelera ...

[ 20/10/2017 ]
Cummins revigorada...

[ 20/10/2017 ]
Por que você deve comprar um carro usado...

[ 20/10/2017 ]
Contran regulamenta padrões para semáfor...

[ 19/10/2017 ]
Montadoras liberam linhas de crédito par...

[ 19/10/2017 ]
Venda de consórcio volta a bater recorde...

[ 19/10/2017 ]
Multas de trânsito poderão ser parcelada...

[ 19/10/2017 ]
"Prévia" do PIB cai 0,38% em agosto, mas...

[ 19/10/2017 ]
Megale, da Anfavea: “O humor mudou”....

[ 19/10/2017 ]
Novo HB20 não vai crescer para brigar co...

[ 19/10/2017 ]
BMW confirma novo X3 ao Brasil para o pr...

[ 19/10/2017 ]
Chevrolet lança série especial S10 100 Y...

[ 19/10/2017 ]
Toyota lança Hilux e SW4 2018 com cinco ...

[ 19/10/2017 ]
Honda Fit traz mais segurança do que tec...




 

Data: 18/5/2017

Argentina anuncia benefício fiscal para veículos elétricos e híbridos
 
O governo argentino anunciou a isenção do equivalente ao nosso Imposto de Importação na venda de automóveis 100% elétricos que forem montados no país vizinho em regime CKD, ou seja, com todas as peças importadas e montagem local - o benefício também vale para modelos que chegarem importados com montagem parcial. Além disso, a Argentina baixou de 35% para 2% o tributo para elétricos que desembarcarem prontos no país e redução para 5% para os híbridos.

A medida tem validade de três anos e vale somente para montadoras que têm fábrica estabelecida em território argentino, com limite de 6.000 unidades anuais. Veículos com peso inferior a 550 kg também ficam fora do benefício, que tem o objetivo de estimular as vendas dos "carros verdes", com zero emissões (no caso dos elétricos) ou emissões baixas (híbridos, que combinam motor elétrico e a combustão).

Hoje, o único automóvel do tipo comercializado no país é o Toyota Prius, também vendido no Brasil pelo preço sugerido de R$ 126,6 mil. De acordo com o jornal "Clarín", a Argentina já homologou os elétricos Nissan Leaf e Renault Kangoo Z.E., além do Volkswagen Touareg híbrido, que legalmente já poderiam ser oferecidos no mercado local, mas não estão ainda à venda por conta justamente dos preços elevados - que o incentivo fiscal vai baixar.

O Brasil também isenta os elétricos do Imposto de Importação e não exige que suas montadoras tenham plantas estabelecidas no país. Já a alíquota para os híbridos varia entre 0% e 7%.

Fonte : Auto Estrada/Alessandro Reis