[ 23/2/2018 ]
Volkswagen ajuda fornecedor a retomar ri...

[ 23/2/2018 ]
Processo de eletrificação dos automóveis...

[ 23/2/2018 ]
Rota 2030 trava na Fazenda por impasse s...

[ 23/2/2018 ]
Presidente da Volkswagen afirma que cris...

[ 23/2/2018 ]
Volkswagen se junta a GM e Fiat e admite...

[ 23/2/2018 ]
Emprego com carteira assinada volta, mas...

[ 23/2/2018 ]
Competitividade insatisfatória ameaça o ...

[ 23/2/2018 ]
Honda Fit 2018 ganha itens de segurança...

[ 23/2/2018 ]
Grupo SHC inaugura concessionária Jaguar...

[ 23/2/2018 ]
CNH e Microsoft criam plataforma para má...

[ 22/2/2018 ]
Volvo retoma 2º turno depois de três ano...

[ 22/2/2018 ]
Rota 2030, novo regime automotivo, sai n...

[ 22/2/2018 ]
Ministro-interino do MDIC destaca papel ...

[ 22/2/2018 ]
Volvo estima alta de 30% no mercado de c...

[ 22/2/2018 ]
Setor automotivo: incerteza sobre progra...

[ 22/2/2018 ]
Próxima rodada ainda não fechará acordo ...

[ 22/2/2018 ]
Vendas de cotas de consórcios de automóv...

[ 22/2/2018 ]
Chevrolet Prisma Advantage tem novo visu...

[ 22/2/2018 ]
Bridgestone comemora 11 anos de operação...

[ 22/2/2018 ]
Cummins define passos para o futuro...




 

Data: 19/5/2017

Ford vai cortar 1.400 empregos na América do Norte e na Ásia
 
A Ford Motor disse nesta quarta-feira que planeja cortar 1.400 empregos assalariados na América do Norte e na Ásia por meio de programa de aposentadoria voluntária antecipada e outros incentivos financeiros, enquanto busca recuperar o preço de suas ações.

A segunda maior fabricante de automóveis dos Estados Unidos informou que os cortes representariam aproximadamente 10% de um total de 15.000 trabalhadores assalariados.

Ainda segundo a empresa, um grande grupo de trabalhadores assalariados não seria coberto pelos cortes planejados, incluindo aqueles na área de desenvolvimento de produtos e na divisão de crédito da Ford. Os cortes não se aplicarão às unidades da Ford na Europa ou América do Sul.

Cerca de dois terços dos cortes planejados estão na América do Norte e o resto na Ásia. A Ford não planeja cortar trabalhadores por hora ou produção.

A montadora vai oferecer incentivos financeiros para estimular os trabalhadores assalariados a saírem voluntariamente, incluindo ofertas de generosa aposentadoria antecipada, afirmou uma fonte a par dos planos.

Em 2016, a Ford cortou centenas de empregos executivos na Europa para reduzir os custos em 200 milhões de dólares anuais.

Nos primeiros negócios da sessão de quarta-feira, as ações da Ford tinha baxa de 0,3%. Desde que Mark Fields assumiu como presidente-executivo em julho de 2014, os papéis caíram quase 40%.

Fonte : Reuters/David Shepardson