[ 26/5/2017 ]
Sindipeças não conta com linhas de finan...

[ 26/5/2017 ]
Mercedes-Benz fecha o maior contrato dos...

[ 26/5/2017 ]
Indústria de carros responde por mais de...

[ 26/5/2017 ]
Construção, máquinas e autos devem sofre...

[ 26/5/2017 ]
Prisma vira ano e traz novidades ...

[ 26/5/2017 ]
SUVs compactos caem no gosto popular...

[ 26/5/2017 ]
Diesel perde força e recua 15% na Europa...

[ 26/5/2017 ]
Volkswagen e JAC firmam joint-venture pa...

[ 26/5/2017 ]
Geely assume o controle acionário da bri...

[ 26/5/2017 ]
GM é processada nos EUA por suposta frau...

[ 25/5/2017 ]
Mercedes-Benz vê início de retomada do m...

[ 25/5/2017 ]
Aumento das exportações impulsiona contr...

[ 25/5/2017 ]
EPE vê carros elétricos com fatia de 2,5...

[ 25/5/2017 ]
CAOA Consórcios cria grupos para imóveis...

[ 25/5/2017 ]
Volkswagen Fox chega ao “ano novo” mais ...

[ 25/5/2017 ]
Fiat Toro chega à linha 2018 mais cara e...

[ 25/5/2017 ]
Contran divulga resolução que atualiza r...

[ 25/5/2017 ]
SUV totalmente elétrico da Ford será apr...

[ 25/5/2017 ]
Renault troca comando no Brasil a partir...

[ 25/5/2017 ]
Citroën do Brasil tem nova diretora come...




 

Data: 19/5/2017

Ford vai cortar 1.400 empregos na América do Norte e na Ásia
 
A Ford Motor disse nesta quarta-feira que planeja cortar 1.400 empregos assalariados na América do Norte e na Ásia por meio de programa de aposentadoria voluntária antecipada e outros incentivos financeiros, enquanto busca recuperar o preço de suas ações.

A segunda maior fabricante de automóveis dos Estados Unidos informou que os cortes representariam aproximadamente 10% de um total de 15.000 trabalhadores assalariados.

Ainda segundo a empresa, um grande grupo de trabalhadores assalariados não seria coberto pelos cortes planejados, incluindo aqueles na área de desenvolvimento de produtos e na divisão de crédito da Ford. Os cortes não se aplicarão às unidades da Ford na Europa ou América do Sul.

Cerca de dois terços dos cortes planejados estão na América do Norte e o resto na Ásia. A Ford não planeja cortar trabalhadores por hora ou produção.

A montadora vai oferecer incentivos financeiros para estimular os trabalhadores assalariados a saírem voluntariamente, incluindo ofertas de generosa aposentadoria antecipada, afirmou uma fonte a par dos planos.

Em 2016, a Ford cortou centenas de empregos executivos na Europa para reduzir os custos em 200 milhões de dólares anuais.

Nos primeiros negócios da sessão de quarta-feira, as ações da Ford tinha baxa de 0,3%. Desde que Mark Fields assumiu como presidente-executivo em julho de 2014, os papéis caíram quase 40%.

Fonte : Reuters/David Shepardson