[ 17/11/2017 ]
Volkswagen quer mais do que dobrar produ...

[ 17/11/2017 ]
Temor de nova condenação na OMC trava Ro...

[ 17/11/2017 ]
Disputa entre montadora e autopeça indep...

[ 17/11/2017 ]
Exportações de autopeças crescem 10,5% n...

[ 17/11/2017 ]
Montadora quer pedaço maior do mercado d...

[ 17/11/2017 ]
Honda ainda não tem planos para a fábric...

[ 17/11/2017 ]
Mercedes-Benz lança canais nas redes soc...

[ 17/11/2017 ]
Montadoras investem cada vez mais na mod...

[ 17/11/2017 ]
GM desafia Tesla com promessa de carros ...

[ 17/11/2017 ]
Volkswagen vai investir € 10 bilhões par...

[ 16/11/2017 ]
Produção de veículos reforça a indústria...

[ 16/11/2017 ]
AGCO desiste de negócio com a Kepler...

[ 16/11/2017 ]
Temer e empresários debatem programa aut...

[ 16/11/2017 ]
Mercado continua cauteloso sobre a recup...

[ 16/11/2017 ]
Reajuste de combustíveis impõe "viés de ...

[ 16/11/2017 ]
Fabricantes de motos premium veem retoma...

[ 16/11/2017 ]
Setor automotivo prevê empregos e cresci...

[ 16/11/2017 ]
Fiat viu em regime militar aval para fáb...

[ 16/11/2017 ]
Mercedes-Benz oferece um ano de manutenç...

[ 16/11/2017 ]
Grupo Volvo inaugura nova concessionária...




 

Data: 11/8/2017

Governo revoga MP que acabava com desoneração para setores do transporte
 
O presidente Michel Temer revogou, na última quarta-feira (09), a Medida Provisória 774 que colocaria fim ao benefício da desoneração da folha de pagamentos para diversos setores da economia. A providência perderia a eficácia nesta quinta-feira sem ser apreciada pelo Congresso Nacional.

Dessa forma, as empresas dos setores de transporte rodoviário de cargas, ferroviário de cargas, aéreo de cargas e de passageiros, marítimo e o de armazenamento de contêineres continuam com a possibilidade de escolher pela forma mais vantajosa de pagar a contribuição previdenciária, recolhendo 20% sobre os pagamentos dos funcionários e contribuintes individuais (sócios e autônomos) ou recolhendo uma alíquota sobre a receita bruta (percentual variável).
Para o transporte de passageiros nos modais rodoviário, ferroviário e metroviário, o benefício já estava mantido. A expectativa é que o governo volte a tratar do tema por meio de projeto de lei.

Fonte : Agência CNT de Notícias