[ 19/9/2017 ]
Com novos serviços e produtos, Scania bu...

[ 19/9/2017 ]
Indústria automobilística tem cerca de R...

[ 19/9/2017 ]
Indústria automobilística na rota da mod...

[ 19/9/2017 ]
Petrobras eleva preços do diesel e reduz...

[ 19/9/2017 ]
Balanço da Usiminas ganha maior robustez...

[ 19/9/2017 ]
Transporte público da zona sul de São Pa...

[ 19/9/2017 ]
Detran.SP promove ações educativas na Se...

[ 19/9/2017 ]
Aliança da Renault está mais perto de se...

[ 19/9/2017 ]
Aliança da Renault está mais perto de se...

[ 19/9/2017 ]
Audi assume liderança em direção autônom...

[ 19/9/2017 ]
Usar em vez de ter, uma visão da mobilid...

[ 18/9/2017 ]
Honda e Itirapina ainda esperam por dias...

[ 18/9/2017 ]
Setor automotivo deve apresentar aumento...

[ 18/9/2017 ]
Rio Grande do Sul é o terceiro mercado d...

[ 18/9/2017 ]
Cummins Turbo Technologies inaugura linh...

[ 18/9/2017 ]
Mercado de vendas de veículos no RS apre...

[ 18/9/2017 ]
Brasil e Estados Unidos na mesma situaçã...

[ 18/9/2017 ]
Toyota destacou linha Etios 2018 durante...

[ 18/9/2017 ]
"Uber dos tratores", aplicativo aluga má...

[ 18/9/2017 ]
Enfatizar o papel de cada usuário das vi...




 

Data: 11/8/2017

Governo revoga MP que acabava com desoneração para setores do transporte
 
O presidente Michel Temer revogou, na última quarta-feira (09), a Medida Provisória 774 que colocaria fim ao benefício da desoneração da folha de pagamentos para diversos setores da economia. A providência perderia a eficácia nesta quinta-feira sem ser apreciada pelo Congresso Nacional.

Dessa forma, as empresas dos setores de transporte rodoviário de cargas, ferroviário de cargas, aéreo de cargas e de passageiros, marítimo e o de armazenamento de contêineres continuam com a possibilidade de escolher pela forma mais vantajosa de pagar a contribuição previdenciária, recolhendo 20% sobre os pagamentos dos funcionários e contribuintes individuais (sócios e autônomos) ou recolhendo uma alíquota sobre a receita bruta (percentual variável).
Para o transporte de passageiros nos modais rodoviário, ferroviário e metroviário, o benefício já estava mantido. A expectativa é que o governo volte a tratar do tema por meio de projeto de lei.

Fonte : Agência CNT de Notícias