[ 17/11/2017 ]
Volkswagen quer mais do que dobrar produ...

[ 17/11/2017 ]
Temor de nova condenação na OMC trava Ro...

[ 17/11/2017 ]
Disputa entre montadora e autopeça indep...

[ 17/11/2017 ]
Exportações de autopeças crescem 10,5% n...

[ 17/11/2017 ]
Montadora quer pedaço maior do mercado d...

[ 17/11/2017 ]
Honda ainda não tem planos para a fábric...

[ 17/11/2017 ]
Mercedes-Benz lança canais nas redes soc...

[ 17/11/2017 ]
Montadoras investem cada vez mais na mod...

[ 17/11/2017 ]
GM desafia Tesla com promessa de carros ...

[ 17/11/2017 ]
Volkswagen vai investir € 10 bilhões par...

[ 16/11/2017 ]
Produção de veículos reforça a indústria...

[ 16/11/2017 ]
AGCO desiste de negócio com a Kepler...

[ 16/11/2017 ]
Temer e empresários debatem programa aut...

[ 16/11/2017 ]
Mercado continua cauteloso sobre a recup...

[ 16/11/2017 ]
Reajuste de combustíveis impõe "viés de ...

[ 16/11/2017 ]
Fabricantes de motos premium veem retoma...

[ 16/11/2017 ]
Setor automotivo prevê empregos e cresci...

[ 16/11/2017 ]
Fiat viu em regime militar aval para fáb...

[ 16/11/2017 ]
Mercedes-Benz oferece um ano de manutenç...

[ 16/11/2017 ]
Grupo Volvo inaugura nova concessionária...




 

Data: 10/10/2017

Volkswagen Caminhões cancela férias coletivas de fim de ano no Brasil
 
A Volkswagen Caminhões e Ônibus decidiu cancelar as férias coletivas de funcionários da sua fábrica em Resende (RJ) pela primeira vez em seis anos, motivada por sinais de retomada na demanda por veículos pesados no país e lançamento de família de modelos leves urbanos, disse o presidente da companhia para a América Latina, Roberto Cortes, nesta segunda-feira.

A fábrica emprega atualmente 3,3 mil funcionários em um turno e vem elevando a produção desde o inicio do ano. A empresa, que disputa a liderança do mercado brasileiro de caminhões e ônibus com a Mercedes-Benz, está trabalhando cinco dias por semana e em três sábados por mês ante, apenas quatro dias trabalhados no começo de 2017.

“A bolsa se valorizou 77% nos últimos seis meses, o risco Brasil caiu, o real está estável e as taxas de juros à metade do que eram. De outubro a dezembro, estamos esperando um aumento de 25% nas vendas”, disse Cortes.

Segundo o executivo, a montadora vai apenas parar atividades entre 25 de dezembro e primeiro de janeiro do próximo ano. Nos anos anteriores, a empresa parava por 20 dias, disse Cortes.

A companhia projeta investir 1,5 bilhão de reais no Brasil entre 2017 e 2021 após 1 bilhão de reais entre 2012 e 2017. O aumento do investimento servirá para lançamento de produtos e melhorias na fábrica, afirmou o executivo.

Fonte : Reuters/ Alberto Alerigi Jr.