[ 17/11/2017 ]
Volkswagen quer mais do que dobrar produ...

[ 17/11/2017 ]
Temor de nova condenação na OMC trava Ro...

[ 17/11/2017 ]
Disputa entre montadora e autopeça indep...

[ 17/11/2017 ]
Exportações de autopeças crescem 10,5% n...

[ 17/11/2017 ]
Montadora quer pedaço maior do mercado d...

[ 17/11/2017 ]
Honda ainda não tem planos para a fábric...

[ 17/11/2017 ]
Mercedes-Benz lança canais nas redes soc...

[ 17/11/2017 ]
Montadoras investem cada vez mais na mod...

[ 17/11/2017 ]
GM desafia Tesla com promessa de carros ...

[ 17/11/2017 ]
Volkswagen vai investir € 10 bilhões par...

[ 16/11/2017 ]
Produção de veículos reforça a indústria...

[ 16/11/2017 ]
AGCO desiste de negócio com a Kepler...

[ 16/11/2017 ]
Temer e empresários debatem programa aut...

[ 16/11/2017 ]
Mercado continua cauteloso sobre a recup...

[ 16/11/2017 ]
Reajuste de combustíveis impõe "viés de ...

[ 16/11/2017 ]
Fabricantes de motos premium veem retoma...

[ 16/11/2017 ]
Setor automotivo prevê empregos e cresci...

[ 16/11/2017 ]
Fiat viu em regime militar aval para fáb...

[ 16/11/2017 ]
Mercedes-Benz oferece um ano de manutenç...

[ 16/11/2017 ]
Grupo Volvo inaugura nova concessionária...




 

Data: 11/10/2017

Aliança Renault define um ambicioso plano para os próximos cinco anos
 
O grupo Renault anunciou seu novo plano estratégico Drive the Future. Ambicioso, o plano prevê, ao final dos próximos 5 anos, que o grupo poderá atingir um faturamento anual de mais de 70 bilhões de euros com uma margem operacional de mais de 7% – com um patamar mínimo de 5% – e um fluxo de caixa positivo todos os anos. O plano Drive the Future representa a visão do Grupo Renault, com foco na mobilidade sustentável para todos, hoje e amanhã.

Para atingir tais metas o grupo pretende aumenta sua presença em novos mercados e reforçar sua presença em mercados chave, que incluem Brasil, Índia e Irã. Na Rússia o foco estará na Lada e na China o grupo pretende criar novas joint ventures estratégicas em veículos elétricos e utilitários.

O grupo Renault prevê aumentar seu volume de vendas em mais de 40% para atingir mais de 5 milhões de veículos vendidos, em comparação com os 3,47 milhões de veículos vendidos em 2016. Paralelamente, o grupo vai ampliar sua gama de produtos, inclusive de veículos utilitários e novos veículos elétricos zero emissão, e se baseará no sucesso de sua gama Global Access.

Este plano também inclui o objetivo de aproveitar seus investimentos em P&D e as economias de escala mundiais alavancadas pela aliança Renault-Nissan-Mitsubishi,

Carlos Ghosn, Presidente da Renault, declarou: “O Grupo Renault é agora um grupo mundial rentável e financeiramente saudável, que encara o futuro com confiança. Drive the Future tem como ambição produzir um crescimento forte e sustentável, tirando partido de investimentos nas regiões e produtos-chave, aproveitando os recursos e tecnologias da Aliança e melhorando nossa competitividade. Baseando-se no comprometimento dos homens e mulheres da Renault, este novo plano liberará todo nosso potencial para inovar e crescer, em um setor que evolui rapidamente”.

De acordo com este plano, o grupo pretende lançar 21 novos veículos, dos quais 20 serão elétricos – oito 100% elétricos e 12 eletrificados.

Das 21 novidades, 15 modelos terão capacidades autônomas que irão desde o nível 2 ao nível 4.

O aumento da oferta de veículos eletrificados contrasta com os propulsores à diesel. Em 2022 a marca francesa terá uma oferta reduzida em 50% e apenas uma família de motorizações diesel ao contrário das três atuais.

Os investimentos em P&D, previstos pelo grupo, poder chegar a 18 bilhões de euros nos próximos anos, além de estarem programados novos serviços de mobilidade que incluem serviços de táxis robôs ao final do plano.

Também a sua gama de veículos comerciais não foi esquecida, a Renault tem como objetivo não só globalizá-la e aumentar as suas vendas em 40%, como também de ter uma gama completa de veículos comerciais 100% elétricos.

Fonte : Futuretransport