[ 12/12/2018 ]
Temer sanciona Rota 2030 com veto a bene...

[ 12/12/2018 ]
Scania tem alta de 50,9% na produção de ...

[ 12/12/2018 ]
BYD entrega os primeiros ônibus 100% elé...

[ 12/12/2018 ]
Brasil foi país que mais adotou medidas ...

[ 12/12/2018 ]
Evento da Anfir poderá render US$ 4 milh...

[ 12/12/2018 ]
Setor de transporte cresce 2,3% até sete...

[ 12/12/2018 ]
Produção de motos vai superar 1 milhão d...

[ 12/12/2018 ]
CNH com chip é adiada para o final de 20...

[ 12/12/2018 ]
Fábrica da Volkswagen em Taubaté celebra...

[ 12/12/2018 ]
Nacional, Tiggo 5X agrada pelo estilo, c...

[ 11/12/2018 ]
Mercado de veículos deve ter alta de até...

[ 11/12/2018 ]
Produção de caminhões avança 30% no ano...

[ 11/12/2018 ]
Emplacamentos de janeiro a novembro sobe...

[ 11/12/2018 ]
Scania prevê homologação de ônibus a GNV...

[ 11/12/2018 ]
Jaguar E-Pace fica quase R$ 30 mil mais ...

[ 11/12/2018 ]
VWCO financia peças e serviços...

[ 11/12/2018 ]
IPVA 2019: Planejamento é a solução para...

[ 11/12/2018 ]
Carros que deverão ser substituídos no a...

[ 11/12/2018 ]
Sindicatos e montadoras dos EUA pedem re...

[ 10/12/2018 ]
Crédito deve impulsionar vendas de veícu...




 

Data: 13/11/2017

Renault Fluence sai de linha à francesa no Brasil
 
Que os sedãs estão perdendo a briga para os SUVs, não é nenhuma novidade. Se os três-volumes já consolidados tendem a permanecer em linha para atender ao seu público cativo, as montadoras não veem razões para continuar insistindo naqueles que não decolaram. A próxima vítima dos utilitários é o Fluence. A Renault resolveu parar de vendê-lo no Brasil para focar seus esforços no Captur e no Duster, modelos nos quais o mercado brasileiro está mais interessado.

O Fluence vinha importado da Argentina, onde é fabricado desde 2010. Mesmo no país vizinho, não há muito futuro para ele: fornecedores da Renault argentina não têm mais nenhuma encomenda programada de componentes para o sedã em 2018.

Diferentemente do que ocorre no Brasil, porém, o segmento de sedãs ainda é bastante forte na Argentina. Por isso, naquele mercado o Fluence deverá ter um substituto – o mais provável é que seja a versão três-volumes da última geração do Mégane, que ocupou o lugar do Fluence em vários países.

No site brasileiro da Renault, por enquanto o Fluence ainda aparece no configurador – em versões Dynamique e Privilège, com motor 2.0 e câmbio CVT, por preços que partem de R$ 99.350.

Fonte : Jornal do Carro