[ 17/10/2018 ]
BNDES aprova R$ 6,7 milhões para estaçõe...

[ 17/10/2018 ]
Média diária na quinzena supera 10,5 mil...

[ 17/10/2018 ]
Bolsonaro quer destravar projetos de inf...

[ 17/10/2018 ]
Exportador teme ações de novo governo...

[ 17/10/2018 ]
Déficit das autopeças cresce 17% este an...

[ 17/10/2018 ]
Mercedes-Benz comemora novas vendas de ô...

[ 17/10/2018 ]
Mercedes-Benz leva o balcão de peças par...

[ 17/10/2018 ]
Continental Pneus lança banda de rodagem...

[ 17/10/2018 ]
Randon Implementos lança em Chapecó nova...

[ 17/10/2018 ]
Fábrica da Volkswagen em São Carlos cele...

[ 16/10/2018 ]
Venda de carros desacelera em 2019...

[ 16/10/2018 ]
Vendas diretas já respondem por quase a ...

[ 16/10/2018 ]
Incerteza política derruba Brasil em ran...

[ 16/10/2018 ]
Acionistas não desistirão do Brasil, diz...

[ 16/10/2018 ]
Justiça suspende instalação de placas pa...

[ 16/10/2018 ]
Anistia de multas pode ser votada hoje n...

[ 16/10/2018 ]
Hatches pequenos e SUVS dominam o mercad...

[ 16/10/2018 ]
Venda de automóveis na China sofre a mai...

[ 16/10/2018 ]
Ford Europa inicia produção da van elétr...

[ 16/10/2018 ]
Scania na Fetranslog: vivenciando os ben...




 

Data: 13/11/2017

Renault Fluence sai de linha à francesa no Brasil
 
Que os sedãs estão perdendo a briga para os SUVs, não é nenhuma novidade. Se os três-volumes já consolidados tendem a permanecer em linha para atender ao seu público cativo, as montadoras não veem razões para continuar insistindo naqueles que não decolaram. A próxima vítima dos utilitários é o Fluence. A Renault resolveu parar de vendê-lo no Brasil para focar seus esforços no Captur e no Duster, modelos nos quais o mercado brasileiro está mais interessado.

O Fluence vinha importado da Argentina, onde é fabricado desde 2010. Mesmo no país vizinho, não há muito futuro para ele: fornecedores da Renault argentina não têm mais nenhuma encomenda programada de componentes para o sedã em 2018.

Diferentemente do que ocorre no Brasil, porém, o segmento de sedãs ainda é bastante forte na Argentina. Por isso, naquele mercado o Fluence deverá ter um substituto – o mais provável é que seja a versão três-volumes da última geração do Mégane, que ocupou o lugar do Fluence em vários países.

No site brasileiro da Renault, por enquanto o Fluence ainda aparece no configurador – em versões Dynamique e Privilège, com motor 2.0 e câmbio CVT, por preços que partem de R$ 99.350.

Fonte : Jornal do Carro