[ 20/11/2018 ]
Brasileiro, presidente do grupo Renault-...

[ 20/11/2018 ]
Financiamento de veículos novos e usados...

[ 20/11/2018 ]
Mercado de ônibus usados recua 4,35% no ...

[ 20/11/2018 ]
Regime automotivo Rota 2030 ainda depend...

[ 20/11/2018 ]
Mercado financeiro reduz expectativa de ...

[ 20/11/2018 ]
Litro da gasolina supera os R$ 7 em post...

[ 20/11/2018 ]
Emissão de carteira de motorista no Bras...

[ 20/11/2018 ]
O Opala completa 50 anos ...

[ 20/11/2018 ]
Mercado automotivo da China caminha para...

[ 20/11/2018 ]
Luta da China contra poluição torna palá...

[ 19/11/2018 ]
Montadoras iniciam teste de serviço de c...

[ 19/11/2018 ]
Setor automotivo foi o que mais recebeu ...

[ 19/11/2018 ]
Governo de São Paulo autoriza montadoras...

[ 19/11/2018 ]
Mercosul e União Europeia não superam im...

[ 19/11/2018 ]
Com guerra comercial, exportação brasile...

[ 19/11/2018 ]
Imposto de importação aumenta custos de ...

[ 19/11/2018 ]
Vendas de máquinas agrícolas registram a...

[ 19/11/2018 ]
Renault comemora 20 anos de fabricação d...

[ 19/11/2018 ]
JAC lança T50 e anuncia importação de pi...

[ 19/11/2018 ]
Mercedes-Benz tem 56% do mercado de ônib...




 

Data: 13/11/2017

Mercado de usados se mantém aquecido
 
Enquanto as fabricantes ainda esperam retorno efetiva do investidor às compras de caminhões 0 km, o mercado de usados segue com os negócios em alta. De acordo com dados da Fenabrave, a federação que reúne as distribuidoras das marcas, em outubro trocaram de mão 30.042 veículos pesados de carga, volume 14,1% superior ao anotado no mesmo mês do ano passado, de 26.337 unidades.

No exercício do ano até outubro, as vendas de usados registraram alta de 4,86%. Ganharam novos donos 286.492 caminhões frente às 273.222 unidades apuradas nos mesmos dez meses de 2016. Pelos cálculos da federação, a cada um caminhão 0 km licenciado, outros 5,9 usados trocam de mão.

No mercado de usados, a preferência do consumidor é pelos modelos da Mercedes-Benz. Em outubro, do total de negócios efetivados, 37,9% foram relacionados com produtos da marca. Depois dela, os veículos da Volkswagen Caminhões e Ônibus participaram com 21,1%, seguido pelos caminhões da Ford (17%), Scania (8,7%), Volvo (7%) e Iveco (4,5%). Todas as outras marcas juntas responderam por quase 3%.

Também as transações de implementos rodoviários usados, em contraste com os novos, anotam crescimento. Em outubro, 6.466 equipamentos mudaram de donos, alta de 14,7% sobre as 5.547 unidades vendidas no mesmo mês do ano passado.

No acumulado de janeiro a outubro, os negócios somaram 68.886 implementos, evolução de 4,6% na comparação com o volume de um ano atrás, de 65.947 unidades.

Fonte : Estradão