[ 19/7/2018 ]
Queda de exportações faz Volkswagen dar ...

[ 19/7/2018 ]
BMW e EDP criam o maior corredor elétric...

[ 19/7/2018 ]
Crédito de exportação do setor automotiv...

[ 19/7/2018 ]
Encontro entre Mercosul e UE fica sem ac...

[ 19/7/2018 ]
Europa anuncia tarifa para importação de...

[ 19/7/2018 ]
Volkswagen novo Polo MSI e Virtus MSI ga...

[ 19/7/2018 ]
Fiat Argo 2019 ganha novos itens de séri...

[ 19/7/2018 ]
Fiat renova parceria com Inhotim...

[ 19/7/2018 ]
Estratégia da Mercedes-Benz para e-mobil...

[ 19/7/2018 ]
Congresso Fenabrave: os novos desafios d...

[ 18/7/2018 ]
Brasil puxa expansão global da Volkswage...

[ 18/7/2018 ]
Mercosul propõe reduzir taxas para carro...

[ 18/7/2018 ]
Mercado deve retomar volume de abril...

[ 18/7/2018 ]
Rota 2030: o que mudará no carro naciona...

[ 18/7/2018 ]
O futuro do carro nacional...

[ 18/7/2018 ]
Pesquisa e desenvolvimento em alta...

[ 18/7/2018 ]
Financiamentos de caminhões e ônibus som...

[ 18/7/2018 ]
Seis carros que podem ser lançados no Br...

[ 18/7/2018 ]
Continental lança banda para maior quilo...

[ 18/7/2018 ]
Grupo Carboni IVECO inaugura nova estrut...




 

Data: 16/11/2017

Temer e empresários debatem programa automotivo Rota 2030
 
O presidente Michel Temer durante reunião com o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, e dirigentes das empresas associadas, no Palácio do P

O presidente Michel Temer recebeu na última terça-feira (14), no Palácio do Planalto, representantes da indústria automobilística para tratar da regulamentação do programa automotivo Rota 2030. O novo projeto deve substituir o Inovar Auto, que termina em dezembro deste ano, e mudar a configuração da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que incide sobre os produtos do setor.

“Não discutimos detalhes do programa, mas o que tem esboçado é que realmente os 30% (do IPI sobre os carros importados) caem e isso deverá ter alguma alíquota complementar da ordem de 10% ou 15%, que poderá ser anulada mediante compromisso que as empresas venham a fazer, mais ou menos nos moldes do Inovar Auto”, disse o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antônio Megale.

Segundo ele, o novo programa é uma “evolução” dos pontos positivos do Inovar Auto e não deve estimular aumento ou redução dos preços dos automóveis, pois as empresas poderão ficar isentas dos reajustes nas alíquotas se investirem em pesquisa e desenvolvimento no país, entre outras atividades ou compromissos.

Ele afirmou ainda que os incentivos do novo projeto devem priorizar a capacidade industrial já instalada no país e iniciativas de aumento da eficiência energética e segurança dos veículos para aumentar economia de combustível e reduzir emissão de CO2 (gás carbônico).

Durante o encontro, a Anfavea apresentou um balanço com sinais de recuperação da indústria automotiva e demonstrou o apoio do setor às reformas empreendidas pelo governo, em especial à da Previdência, para “consolidar a previsibilidade” e capacidade de atrair investidores e gerar empregos e renda.

Também participaram da reunião o presidente da Volkswagen na América do Sul, Pablo Di Si; os ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira; da Fazenda, Henrique Meirelles, e da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Fonte : Agência Brasil/Kleber Sampaio