[ 15/10/2018 ]
Anfavea pleiteia destravamento para a re...

[ 15/10/2018 ]
Produção da indústria automobilística br...

[ 15/10/2018 ]
MINI Cabrio desembarca no Brasil...

[ 15/10/2018 ]
Comércio varejista cresce 1,3%, diz IBGE...

[ 15/10/2018 ]
Mercedes-Benz amplia participação no Sul...

[ 15/10/2018 ]
Ford Ka Sedan: discrição bem-acertada....

[ 15/10/2018 ]
Caminhões VW Delivery saem das linhas co...

[ 15/10/2018 ]
Goodyear lança pneu Urban Max para trans...

[ 15/10/2018 ]
BMW vai pagar 3,6 bilhões de euros por c...

[ 15/10/2018 ]
Ford utilizará grafeno em seus carros...

[ 11/10/2018 ]
Brasil perde US$ 1 bilhão por ano com ba...

[ 11/10/2018 ]
Jaguar Land Rover anuncia paralisação de...

[ 11/10/2018 ]
CAOA Chery lança sedã Arrizo 5 este mês...

[ 11/10/2018 ]
Novo VW Delivery sai de fábrica sob medi...

[ 11/10/2018 ]
Case IH amplia atuação no Paraná...

[ 11/10/2018 ]
Porto Seguro lança consórcio para máquin...

[ 11/10/2018 ]
Goodyear tem novo pneu para aplicação ur...

[ 11/10/2018 ]
Aplicativo indica caminhos para pessoas ...

[ 11/10/2018 ]
Cidade inteligente prevê o fim dos conge...

[ 11/10/2018 ]
Projeto limita emissão de poluentes por ...




 

Data: 16/11/2017

Temer e empresários debatem programa automotivo Rota 2030
 
O presidente Michel Temer durante reunião com o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, e dirigentes das empresas associadas, no Palácio do P

O presidente Michel Temer recebeu na última terça-feira (14), no Palácio do Planalto, representantes da indústria automobilística para tratar da regulamentação do programa automotivo Rota 2030. O novo projeto deve substituir o Inovar Auto, que termina em dezembro deste ano, e mudar a configuração da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que incide sobre os produtos do setor.

“Não discutimos detalhes do programa, mas o que tem esboçado é que realmente os 30% (do IPI sobre os carros importados) caem e isso deverá ter alguma alíquota complementar da ordem de 10% ou 15%, que poderá ser anulada mediante compromisso que as empresas venham a fazer, mais ou menos nos moldes do Inovar Auto”, disse o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antônio Megale.

Segundo ele, o novo programa é uma “evolução” dos pontos positivos do Inovar Auto e não deve estimular aumento ou redução dos preços dos automóveis, pois as empresas poderão ficar isentas dos reajustes nas alíquotas se investirem em pesquisa e desenvolvimento no país, entre outras atividades ou compromissos.

Ele afirmou ainda que os incentivos do novo projeto devem priorizar a capacidade industrial já instalada no país e iniciativas de aumento da eficiência energética e segurança dos veículos para aumentar economia de combustível e reduzir emissão de CO2 (gás carbônico).

Durante o encontro, a Anfavea apresentou um balanço com sinais de recuperação da indústria automotiva e demonstrou o apoio do setor às reformas empreendidas pelo governo, em especial à da Previdência, para “consolidar a previsibilidade” e capacidade de atrair investidores e gerar empregos e renda.

Também participaram da reunião o presidente da Volkswagen na América do Sul, Pablo Di Si; os ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira; da Fazenda, Henrique Meirelles, e da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Fonte : Agência Brasil/Kleber Sampaio