[ 19/7/2018 ]
Queda de exportações faz Volkswagen dar ...

[ 19/7/2018 ]
BMW e EDP criam o maior corredor elétric...

[ 19/7/2018 ]
Crédito de exportação do setor automotiv...

[ 19/7/2018 ]
Encontro entre Mercosul e UE fica sem ac...

[ 19/7/2018 ]
Europa anuncia tarifa para importação de...

[ 19/7/2018 ]
Volkswagen novo Polo MSI e Virtus MSI ga...

[ 19/7/2018 ]
Fiat Argo 2019 ganha novos itens de séri...

[ 19/7/2018 ]
Fiat renova parceria com Inhotim...

[ 19/7/2018 ]
Estratégia da Mercedes-Benz para e-mobil...

[ 19/7/2018 ]
Congresso Fenabrave: os novos desafios d...

[ 18/7/2018 ]
Brasil puxa expansão global da Volkswage...

[ 18/7/2018 ]
Mercosul propõe reduzir taxas para carro...

[ 18/7/2018 ]
Mercado deve retomar volume de abril...

[ 18/7/2018 ]
Rota 2030: o que mudará no carro naciona...

[ 18/7/2018 ]
O futuro do carro nacional...

[ 18/7/2018 ]
Pesquisa e desenvolvimento em alta...

[ 18/7/2018 ]
Financiamentos de caminhões e ônibus som...

[ 18/7/2018 ]
Seis carros que podem ser lançados no Br...

[ 18/7/2018 ]
Continental lança banda para maior quilo...

[ 18/7/2018 ]
Grupo Carboni IVECO inaugura nova estrut...




 

Data: 17/11/2017

Montadora quer pedaço maior do mercado de extrapesados
 
As vendas de caminhões em outubro fecharam no azul, segundo levantamento da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição Veículos Automotores), com um crescimento de 11,29% em relação a setembro. Mas, no acumulado do ano, o setor ainda apresenta resultados negativos (-3,97%).

Apesar do desempenho do ano ainda estar no vermelho, a perspectiva do mercado para o próximo ano é de incremento. Algo entre 20% a 22%. A categoria dos extrapesados deve puxar esse desempenho positivo. Hoje, o segmento representa em torno de 41% do mercado total de caminhões.

Líder em vendas com 27,89% da participação de mercado geral em outubro, a Mercedes-Benz aposta na categoria de extrapesados para crescer. A marca pretende ampliar a sua participação em 30%. Em setembro, a montadora alcançou participação de 23% no número de emplacamentos da categoria.

O Paraná terá um papel importante neste incremento. E a concessionária da marca, a Ingá Veículos, está investindo no Estado. O grupo inaugura, nesta sexta-feira, uma nova loja na Rodovia PR-445, em Cambé. “A Mercedes-Benz tem a meta de ampliar a nossa participação em 30% neste segmento no mercado nacional e a participação do Paraná para atingir a cota nacional seria de 10%”, afirmou Ari de Carvalho, diretor de Vendas e Marketing da Mercedes-Benz.

O otimismo da MercedesBenz se deve ao bom desempenho dos novos modelos das linhas Accelo e Actros. “Estamos com dois produtos bem respeitados e que nos dão condições de brigar de igual para igual”, ressaltou Carvalho. A empresa investirá R$ 2,4 bilhões na modernização das fábricas de caminhões e ônibus nos próximos cinco anos.

A nova referência para os empréstimos do BNDES, a TLP (Taxa de Longo Prazo), que passa a valer em janeiro e vem substituir a TJLP (Taxa de Juro de Longo Prazo), não deve trazer grandes impactos para o financiamento de caminhões, na avaliação de Carvalho.

Segundo ele, o mercado está melhorando a liberação de crédito, em função da queda da inadimplência, e a matriz de financiamento mudou. Hoje, o Finame (do BNDES) é responsável por 55% do crédito. O restante vem de fontes privadas.

Nesta sexta-feira, a concessionária da marca, que antes ficava em Londrina, passa a funcionar em Cambé, num terreno de 96 mil metros quadrados, com 9.100 metros quadrados de área construída.

A estrutura se destaca pelo aumento da capacidade de prestação de serviços, permitindo o acesso de bitrens, rodotrens e treminhões em 23 vagas na oficina mecânica. “É uma área preparada para atender o crescimento do setor nos próximos 20 anos”, disse Alberto Giaretta, diretor comercial do Grupo Ingá Veículos.

O grupo projeta um crescimento em torno de 20% nas vendas em 2018, tanto no Paraná como na região de Londrina, em todos os segmentos. Mas a grande aposta é na categoria de extrapesados. Dentro do grupo, os extrapesados devem saltar de 13% para 22% na participação das vendas.

“A região de Londrina é muito forte no agronegócio e o produto que estávamos vendendo é o que o cliente está procurando (referindose a linha Actros). A nossa projeção é até um pouco acima de 20%, principalmente no segmento extrapesado”, afirmou Giaretta.

No novo espaço, a concessionária se alia à Recapadora Michelin e oferece novos serviços de pneus e recapeamento.

Fonte : Folha de Londrina/Aline Machado Parodi e Nelson B.