[ 15/12/2017 ]
"Carro único" para Brasil e Argentina po...

[ 15/12/2017 ]
Cresce a procura por consórcio de veícul...

[ 15/12/2017 ]
Governo reduz a zero imposto de importaç...

[ 15/12/2017 ]
Montadora chinesa chega a Anápolis e vai...

[ 15/12/2017 ]
Superávit comercial deve cair a US$ 50,3...

[ 15/12/2017 ]
Dados da Fenabrave registram um crescime...

[ 15/12/2017 ]
Ford Caminhões projeta mercado maior em ...

[ 15/12/2017 ]
CAOA Montadora assina parceria com a SAE...

[ 15/12/2017 ]
Volkswagen reconhece apoio à ditadura so...

[ 15/12/2017 ]
Peças genuínas DAF e multimarcas TRP tem...

[ 14/12/2017 ]
JAC Motors implantará nova montadora em ...

[ 14/12/2017 ]
Rota 2030 deve exigir aumento de 12% na ...

[ 14/12/2017 ]
Setor de autopeças prevê crescimento sus...

[ 14/12/2017 ]
Dados positivos do varejo de São Paulo...

[ 14/12/2017 ]
Programa de incentivo desagrada às monta...

[ 14/12/2017 ]
Crédito e renda devem impulsionar a expa...

[ 14/12/2017 ]
Novo Toyota Camry desembarca no País...

[ 14/12/2017 ]
Volkswagen Amarok V6 Highline esgota pré...

[ 14/12/2017 ]
Renault entrega vinte veículos elétricos...

[ 14/12/2017 ]
Revisão do carro antes das férias é fund...




 

Data: 6/12/2017

Produção industrial sobe 0,2% em outubro e investimentos são destaque
 
A produção industrial brasileira iniciou o quarto trimestre em alta, dentro do esperado e impulsionada por bens de capital e de consumo, em mais um sinal de que a economia do país está se recuperando gradualmente.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta terça-feira que a produção industrial teve expansão de 0,2% em outubro na comparação com o mês anterior, após avanço de 0,3% em setembro.

Sobre o mesmo mês de 2016, a alta foi de 5,3%, melhor resultado desde abril de 2013 (+9,8%).

Os dados ficaram em linha com as expectativas em pesquisa da Reuters com economistas, de alta de 0,20% na variação mensal e de 5,20% na base anual.

"Há saldo positivo da indústria neste ano, com 8 altas em 10 meses, bem em linha com o ritmo e a velocidade da economia. Não vemos recuperação rápida e instantânea, mas há uma reação", disse o gerente da pesquisa no IBGE, André Macedo

Entre as categorias, apresentaram ganhos em outubro Bens de Capital, uma medida de investimento, e Bens de Consumo, respectivamente de 1,1% e 1,0%.

A retomada dos investimentos no terceiro trimestre já havia indicado fôlego da economia ao expandir 1,6% sobre o período anterior.

Com o resultado de outubro, a indústria mantém o ritmo gradual de recuperação, em meio à melhora do emprego no país com inflação e juros baixos.

Segundo o IBGE, somente a produção de Bens Intermediários recuou no mês, em 0,8% na comparação com setembro.

Já entre os ramos pesquisados, 15 dos 24 registraram ganhos, sendo as maiores influências positivas os aumentos de 20,3% de produtos farmoquímicos e farmacêuticos e de 4,8% de bebidas. Ambos reverteram as perdas vistas no mês anterior.

"O positivo desse resultado é percebermos que o crescimento da indústria está menos concentrado em setores específicos", avaliou Macedo.

A confiança da indústria também vem melhorando, com avanço em novembro pelo quinto mês seguido, para a máxima em quase quatro anos.

Fonte : Reuters