[ 23/2/2018 ]
Volkswagen ajuda fornecedor a retomar ri...

[ 23/2/2018 ]
Processo de eletrificação dos automóveis...

[ 23/2/2018 ]
Rota 2030 trava na Fazenda por impasse s...

[ 23/2/2018 ]
Presidente da Volkswagen afirma que cris...

[ 23/2/2018 ]
Volkswagen se junta a GM e Fiat e admite...

[ 23/2/2018 ]
Emprego com carteira assinada volta, mas...

[ 23/2/2018 ]
Competitividade insatisfatória ameaça o ...

[ 23/2/2018 ]
Honda Fit 2018 ganha itens de segurança...

[ 23/2/2018 ]
Grupo SHC inaugura concessionária Jaguar...

[ 23/2/2018 ]
CNH e Microsoft criam plataforma para má...

[ 22/2/2018 ]
Volvo retoma 2º turno depois de três ano...

[ 22/2/2018 ]
Rota 2030, novo regime automotivo, sai n...

[ 22/2/2018 ]
Ministro-interino do MDIC destaca papel ...

[ 22/2/2018 ]
Volvo estima alta de 30% no mercado de c...

[ 22/2/2018 ]
Setor automotivo: incerteza sobre progra...

[ 22/2/2018 ]
Próxima rodada ainda não fechará acordo ...

[ 22/2/2018 ]
Vendas de cotas de consórcios de automóv...

[ 22/2/2018 ]
Chevrolet Prisma Advantage tem novo visu...

[ 22/2/2018 ]
Bridgestone comemora 11 anos de operação...

[ 22/2/2018 ]
Cummins define passos para o futuro...




 

Data: 7/12/2017

Anfavea: mercado pode crescer dois dígitos em 2018
 
Com crescimento de 27,1% na produção acumulada deste ano e de 9,8% nas vendas internas, a indústria automotiva está apostando na continuidade da retomada do crescimento para 2018. A Anfavea só vai divulgar suas projeções oficiais no início do próximo mês, mas o presidente da entidade, Antonio Megale, adiantou na quarta-feira, 6, que vê perspectiva de o mercado crescer na faixa de dois dígitos e a produção beirar os 3 milhões de veículos no ano que vem.

Segundo balanço divulgado pela Anfavea, o setor produziu 249 mil veículos em novembro, com pequena baixa de 0,3% em relação a outubro e alta de 15,2% sobre as 216,3 mil unidades fabricadas no mesmo mês de 2016. No acumulado do ano a produção chegou a 2.485.979, crescimento de 27,1% sobre o total de 1.956.492 dos primeiros onze meses do ano passado. A estimativa é encerrar este ano com produção em torno de 2,7 milhões de veículos produzidos e crescer pelo menos 11% no próximo para chegar aos 3 milhões.

Graças às exportações, a produção cresce este ano acima do mercado interno. Em novembro foram emplacados 204,2 mil veículos, com resultado positivo de 0,7% em relação a outubro e de 14,6% no comparativo com idêntico mês de 2016. No ano já foram comercializados 2.027.067 unidades, expansão de 9,8% sobre total de 1.845.968 do período janeiro a novembro do ano passado.

De acordo com Megale, a capacidade ociosa ainda é elevada, na faixa de 45%, mas diz que o importante é que a retomada está sendo consistente e a produção caminha para a casa das 3 milhões de unidades no ano que vem. Ele divulgou vários dados positivos, como recordes de exportação, estoque “razoável” na casa de 232 mil unidades, equivalente a 34 dias de produção, e a redução no número de empregados em layoff ou PSE, Programa Seguro Emprego.

“Há um mês eram 3.528 funcionários em layoff ou PSE e desse total 196 retornaram ao trabalho, sendo 187 dos que estavam em layoff”, informou o presidente da Anfavea, lembrando que no auge da crise o número de empregados afastados chegou na casa dos 38 mil. O nível de emprego teve pequena baixa de 0,3% em novembro com relação a outubro, o que é considerado sazonal pela entidade. Em relação a novembro do ano passado houve crescimento de 2,5%, com total de 3.078 contratações – hoje o quadro está em 126.349.

Fonte : AutoIndústria/Alzira Rodrigues