[ 15/10/2018 ]
Anfavea pleiteia destravamento para a re...

[ 15/10/2018 ]
Produção da indústria automobilística br...

[ 15/10/2018 ]
MINI Cabrio desembarca no Brasil...

[ 15/10/2018 ]
Comércio varejista cresce 1,3%, diz IBGE...

[ 15/10/2018 ]
Mercedes-Benz amplia participação no Sul...

[ 15/10/2018 ]
Ford Ka Sedan: discrição bem-acertada....

[ 15/10/2018 ]
Caminhões VW Delivery saem das linhas co...

[ 15/10/2018 ]
Goodyear lança pneu Urban Max para trans...

[ 15/10/2018 ]
BMW vai pagar 3,6 bilhões de euros por c...

[ 15/10/2018 ]
Ford utilizará grafeno em seus carros...

[ 11/10/2018 ]
Brasil perde US$ 1 bilhão por ano com ba...

[ 11/10/2018 ]
Jaguar Land Rover anuncia paralisação de...

[ 11/10/2018 ]
CAOA Chery lança sedã Arrizo 5 este mês...

[ 11/10/2018 ]
Novo VW Delivery sai de fábrica sob medi...

[ 11/10/2018 ]
Case IH amplia atuação no Paraná...

[ 11/10/2018 ]
Porto Seguro lança consórcio para máquin...

[ 11/10/2018 ]
Goodyear tem novo pneu para aplicação ur...

[ 11/10/2018 ]
Aplicativo indica caminhos para pessoas ...

[ 11/10/2018 ]
Cidade inteligente prevê o fim dos conge...

[ 11/10/2018 ]
Projeto limita emissão de poluentes por ...




 

Data: 8/2/2018

Ministro aponta cartel em corporações do setor de combustíveis
 
As corporações do setor de combustíveis estão agindo em cartel, impedindo que cortes de preços realizados pela Petrobras nas refinarias cheguem aos consumidores finais, disse nesta quarta-feira o ministro da Secretária-geral da Presidência, Moreira Franco, no Twitter.

"Queremos que a queda de preços da Petrobras cheguem aos consumidores. Não podemos assistir de mãos atadas a atuação cartelizada das corporações do setor em prejuízo da população", afirmou ele.

O ministro deu uma entrevista ao site do jornal O Estado de S. Paulo afirmando que entrou com uma consulta no Conselho Administrativa de Defesa Econômica (Cade) sobre as leis disponíveis e as medidas cabíveis para combater a suposta cartelização na distribuição da gasolina.

Procurada, a assessoria de imprensa do órgão antitruste afirmou por email que "até o momento não foi protocolada no Cade nenhuma consulta ou petição acerca do objeto descrito na notícia".

Os preços médios de gasolina, diesel e etanol têm batido recordes nominais (sem considerar a inflação) nos postos brasileiros desde o ano passado, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Na terça-feira, o presidente Michel Temer disse que o governo estuda uma fórmula jurídica para obrigar o repasse de reduções nos preços dos combustíveis às bombas.

Fonte : Reuters/Marta Nogueira e Luciano Costa