[ 13/8/2018 ]
Honda e Toyota vão mudar a cara dos seus...

[ 13/8/2018 ]
Demanda por ônibus e caminhões impulsion...

[ 13/8/2018 ]
Participação das exportações cai de 38% ...

[ 13/8/2018 ]
Cummins Brasil cresce 60% em volume de m...

[ 13/8/2018 ]
Indústria pode retomar mercado com acord...

[ 13/8/2018 ]
Marca importante ...

[ 13/8/2018 ]
Ford terá apenas cinco plataformas para ...

[ 13/8/2018 ]
Volkswagen mostra mais um pouco do T-Cro...

[ 13/8/2018 ]
Sem automóveis de luxo, salões vão morre...

[ 13/8/2018 ]
Trump ameaça taxar carros canadenses se ...

[ 10/8/2018 ]
Fábrica da Mitsubishi Motors completa 20...

[ 10/8/2018 ]
Carteiras de financiamento de veículos s...

[ 10/8/2018 ]
Déficit das autopeças cresce 21,7% no an...

[ 10/8/2018 ]
Negócios acelerados no consórcio de pesa...

[ 10/8/2018 ]
Camex reduz para 2% tarifa de importação...

[ 10/8/2018 ]
Governo estuda estender desconto no dies...

[ 10/8/2018 ]
VW Delivery prontos para trabalhar...

[ 10/8/2018 ]
Um carro para não chamar de seu...

[ 10/8/2018 ]
Novo FS440 da Bridgestone promete rendim...

[ 10/8/2018 ]
Estudo apontará quais corredores rodoviá...




 

Data: 8/2/2018

Ministro aponta cartel em corporações do setor de combustíveis
 
As corporações do setor de combustíveis estão agindo em cartel, impedindo que cortes de preços realizados pela Petrobras nas refinarias cheguem aos consumidores finais, disse nesta quarta-feira o ministro da Secretária-geral da Presidência, Moreira Franco, no Twitter.

"Queremos que a queda de preços da Petrobras cheguem aos consumidores. Não podemos assistir de mãos atadas a atuação cartelizada das corporações do setor em prejuízo da população", afirmou ele.

O ministro deu uma entrevista ao site do jornal O Estado de S. Paulo afirmando que entrou com uma consulta no Conselho Administrativa de Defesa Econômica (Cade) sobre as leis disponíveis e as medidas cabíveis para combater a suposta cartelização na distribuição da gasolina.

Procurada, a assessoria de imprensa do órgão antitruste afirmou por email que "até o momento não foi protocolada no Cade nenhuma consulta ou petição acerca do objeto descrito na notícia".

Os preços médios de gasolina, diesel e etanol têm batido recordes nominais (sem considerar a inflação) nos postos brasileiros desde o ano passado, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Na terça-feira, o presidente Michel Temer disse que o governo estuda uma fórmula jurídica para obrigar o repasse de reduções nos preços dos combustíveis às bombas.

Fonte : Reuters/Marta Nogueira e Luciano Costa