[ 12/11/2018 ]
Temer assina decreto que regulamenta o R...

[ 12/11/2018 ]
No Salão do Automóvel a mobilidade está ...

[ 12/11/2018 ]
Vendas de máquinas agrícolas no Brasil s...

[ 12/11/2018 ]
Setor automotivo sai enfraquecido da bat...

[ 12/11/2018 ]
Economia dá sinais de recuperação após a...

[ 12/11/2018 ]
Em momento "decisivo", UE pedirá concess...

[ 12/11/2018 ]
Receita do Grupo Randon cresce 45,3% no ...

[ 12/11/2018 ]
MME publica cronograma para elevar mistu...

[ 12/11/2018 ]
Volkswagen Gol GTi completa 30 anos...

[ 12/11/2018 ]
Volkswagen Caminhões e Ônibus comemora 2...

[ 9/11/2018 ]
Montadoras rumo aos 3 milhões de veículo...

[ 9/11/2018 ]
Anfavea apoia proposta de criação do Min...

[ 9/11/2018 ]
Rota 2030 ganha aprovação "relâmpago"...

[ 9/11/2018 ]
Senado dá recados e cobra interlocução d...

[ 9/11/2018 ]
Recursos para compra de veículos superam...

[ 9/11/2018 ]
Governo estuda transição para fim da sub...

[ 9/11/2018 ]
Metalúrgicos do ABC: “Rota 2030 não é po...

[ 9/11/2018 ]
Montadoras anunciam descontos de até R$ ...

[ 9/11/2018 ]
Ford compra startup de patinete elétrico...

[ 9/11/2018 ]
Tesla nomeia substituta de Elon Musk na ...




 

Data: 9/2/2018

Renault quer produzir 10 mil Kwid entre janeiro e fevereiro
 
Com reclamações quanto ao longo tempo de espera para entregar o Kwid, a Renault anuncia que aumentou a produção da fábrica em São José dos Pinhais (PR) e quer produzir 10 mil unidades do subcompacto até o fim de fevereiro. Muitos clientes ainda reclamam de terem encomendado o veículo na pré-venda, em junho de 2017, e ainda não terem recebido o carro.

“O Kwid é um sucesso desde a campanha de pré-venda. Após o seu lançamento, toda a Renault estava empenhada em cumprir os compromissos assumidos com os nossos clientes no Brasil, além de garantir os volumes para a Argentina e Uruguai, países em que o Kwid também já foi lançado, com grande procura. Aceleramos a nossa produção para reduzir o tempo de entrega”, explica Luiz Pedrucci, presidente da Renault do Brasil.

A marca diz que o tempo de espera caiu de mais de 40 dias para menos de um mês. Acessando o configurador da fabricante, na última quarta-feira (dia 7), a versão de entrada Life tem cerca de 25 dias de espera, enquanto as configurações Zen e Intense levam aproximadamente 25 dias para ser entregues.

Desde o lançamento, a Renault contratou mais 1.300 funcionários e colocou o Complexo Ayrton Senna, no Paraná, para trabalhar em três turnos completos desde outubro. O compacto emplacou 10 mil unidades em setembro e, desde então, vem mantendo uma média abaixo de 3 mil. Vale lembrar que problemas de qualidade levaram a realização de três recalls desde a estreia.

Fonte : MotorSport