[ 13/7/2018 ]
Mercado automotivo deve crescer 11,8% em...

[ 13/7/2018 ]
Governo facilita a importação de autopeç...

[ 13/7/2018 ]
Deficientes agora só podem revender carr...

[ 13/7/2018 ]
Câmara e Senado aprovam MP do Frete...

[ 13/7/2018 ]
Balanço da Anfir aponta trajetória de re...

[ 13/7/2018 ]
Ford reposiciona preços da linha Focus...

[ 13/7/2018 ]
No transporte escolar, todo cuidado é po...

[ 13/7/2018 ]
Única versão com pegada esportiva do hat...

[ 13/7/2018 ]
Tata Nano em tempo de dizer adeus...

[ 13/7/2018 ]
O “carro a sol” da FCA...

[ 12/7/2018 ]
Crise automotiva no Brasil ainda pode pi...

[ 12/7/2018 ]
Mercedes-Benz lidera segmento de caminhõ...

[ 12/7/2018 ]
Fiscalização pode ser risco para adensam...

[ 12/7/2018 ]
Financiamentos de veículos novos recuam ...

[ 12/7/2018 ]
Consórcio expande vendas em 10,1% no ano...

[ 12/7/2018 ]
Ampliada restrição para compra direta de...

[ 12/7/2018 ]
Setor duas rodas exibe recuperação apesa...

[ 12/7/2018 ]
Alumínio e aço mais leves impulsionam re...

[ 12/7/2018 ]
Renault duplicará produção do elétrico Z...

[ 12/7/2018 ]
Reguladores dos EUA discutem segurança d...




 

Data: 12/3/2018

Contran regulamenta placa padrão Mercosul
 
O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) regulamentou, através da Resolução N° 729, o uso da placa de identificação veicular padrão Mercosul. A novidade é a inclusão de selos federais e chips de reconhecimento, fabricados pela Casa da Moeda do Brasil.

Com o regulamento, as placas vão possuir elementos que permitem maior segurança e identificação automática dos veículos, como QR Code e número de ID único. As alterações no processo de fabricação são para prevenir fraudes, além de cumprir acordos internacionais. Com a nova Resolução, apenas o Denatran poderá credenciar as empresas fabricantes.

As novas placas dispensarão o uso de lacres, em concordância com o Parágrafo 9 do Artigo 115 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Após 180 dias da publicação a Resolução entrará em vigor, sendo obrigatório para os veículos novos que receberão o emplacamento e para os que optarem por mudar o domicílio. A troca da chapa para veículos já emplacados será opcional até 2023. Dessa data em diante todos os veículos nacionais terão que conter a nova placa.

Com os novos chips, os dados serão compartilhados com as polícias Federal, Rodoviária Federal e estaduais, facilitando em ocorrências de roubos e furtos. Assim como a Receita Federal e receitas estaduais, em ocasiões como evasão de divisas, permitindo uma fiscalização de cargas e passageiros mais ampla.

Fonte : Frota & Cia