[ 25/6/2018 ]
Carro elétrico da brasileira Mobilis pod...

[ 25/6/2018 ]
Mercado de caminhões usados acumula alta...

[ 25/6/2018 ]
Montadoras discutem mudanças nas vendas ...

[ 25/6/2018 ]
Venda de carros elétricos e híbridos no ...

[ 25/6/2018 ]
Pirelli estreia no segmento de som...

[ 25/6/2018 ]
Furgões Joinville comemora 30 anos e pre...

[ 25/6/2018 ]
Mortes em acidentes de trânsito caem 14%...

[ 25/6/2018 ]
Indústria automotiva mundial enfrentará ...

[ 25/6/2018 ]
Grupo Volkswagen divide responsabilidade...

[ 25/6/2018 ]
Trump ameaça carros europeus com sobreta...

[ 22/6/2018 ]
Consórcio mantém desempenho positivo...

[ 22/6/2018 ]
Scania Top Team contribui para motivar e...

[ 22/6/2018 ]
Metalúrgicos esperam que aliança entre V...

[ 22/6/2018 ]
Rede de aços planos perde fôlego e demon...

[ 22/6/2018 ]
Consórcio de pesados cresce no primeiro ...

[ 22/6/2018 ]
Volvo lança programa de fidelidade...

[ 22/6/2018 ]
4TRUCK projeta crescer 40% em 2018 e em ...

[ 22/6/2018 ]
Mitos e verdades sobre manutenção de seu...

[ 22/6/2018 ]
Apple, Samsung e montadoras criam soluçã...

[ 22/6/2018 ]
Toyota reduz gastos com marketing para i...




 

Data: 22/5/2018

Paralisação de caminhoneiros contra alta do diesel
 
Caminhoneiros realizam na manhã de ontem, paralisações em diversas partes do Brasil.

Os profissionais fazem os atos contra os aumentos constantes de preços do óleo diesel.

São registrados bloqueios em vias urbanas e rodovias de Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo, em diferentes cidades. No dia 16 de maio, quarta-feira passada, caminhoneiros já haviam bloqueado por algumas horas a rodovia Anhanguera, em São Paulo, no km 147 sentido interior.

Os caminhoneiros dizem que não estão conseguindo repassar todos os aumentos para os fretes porque poderiam perder trabalho.

As altas do diesel têm ocorrido desde julho do ano passado com a nova política de preços da Petrobrás.

O setor de transporte de passageiros também se queixa.

Segundo a NTU, entre janeiro e o dia 15 de maio, os prejuízos registrados foram de R$ 1 bilhão. A associação representa as empresas de ônibus urbanos.

Fonte : Diário do Transporte