[ 26/9/2018 ]
Scania acelera produção em São Bernardo ...

[ 26/9/2018 ]
Effa Motors planeja novos modelos e ampl...

[ 26/9/2018 ]
Autopeças brasileiras ganham espaço na A...

[ 26/9/2018 ]
De janeiro até a terceira semana de sete...

[ 26/9/2018 ]
Atlas da Acidentalidade aponta os piores...

[ 26/9/2018 ]
O perigo de comprar SUVs no Brasil...

[ 26/9/2018 ]
DAF começa a produzir caminhões na Austr...

[ 26/9/2018 ]
BMW faz alerta sobre lucro, culpa guerra...

[ 26/9/2018 ]
Audi lança serviço de assinatura que per...

[ 26/9/2018 ]
Projeto limita emissão de poluentes por ...

[ 25/9/2018 ]
Minas Gerais paga contrato de R$ 24 milh...

[ 25/9/2018 ]
Déficit das autopeças atinge US$ 4,48 bi...

[ 25/9/2018 ]
Apesar do cenário político, vendas de ca...

[ 25/9/2018 ]
Mercado reduz previsão de crescimento do...

[ 25/9/2018 ]
Mercado financeiro aumenta estimativa de...

[ 25/9/2018 ]
Petrobras reduz o preço da gasolina nas ...

[ 25/9/2018 ]
Veículos elétricos devem ter preços de c...

[ 25/9/2018 ]
Brasil reciclou cerca de 92 milhões de p...

[ 25/9/2018 ]
Randon, de Caxias, anuncia mudanças na á...

[ 25/9/2018 ]
Grupo Traton surge como um gigante em tr...




 

Data: 22/5/2018

Paralisação de caminhoneiros contra alta do diesel
 
Caminhoneiros realizam na manhã de ontem, paralisações em diversas partes do Brasil.

Os profissionais fazem os atos contra os aumentos constantes de preços do óleo diesel.

São registrados bloqueios em vias urbanas e rodovias de Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo, em diferentes cidades. No dia 16 de maio, quarta-feira passada, caminhoneiros já haviam bloqueado por algumas horas a rodovia Anhanguera, em São Paulo, no km 147 sentido interior.

Os caminhoneiros dizem que não estão conseguindo repassar todos os aumentos para os fretes porque poderiam perder trabalho.

As altas do diesel têm ocorrido desde julho do ano passado com a nova política de preços da Petrobrás.

O setor de transporte de passageiros também se queixa.

Segundo a NTU, entre janeiro e o dia 15 de maio, os prejuízos registrados foram de R$ 1 bilhão. A associação representa as empresas de ônibus urbanos.

Fonte : Diário do Transporte