[ 10/12/2018 ]
Crédito deve impulsionar vendas de veícu...

[ 10/12/2018 ]
Contratação de crédito rural do Plano Sa...

[ 10/12/2018 ]
Dependência maior do mercado interno...

[ 10/12/2018 ]
Inflação fica negativa em 0,21% em novem...

[ 10/12/2018 ]
70% das empresas tentam escapar da alta ...

[ 10/12/2018 ]
Concessionário da Jaguar Land Rover mais...

[ 10/12/2018 ]
Chatbot vendeu C4 Cactus no Brasil...

[ 10/12/2018 ]
Volkswagen Voyage é o carro que mais dep...

[ 10/12/2018 ]
Iveco Hi-Road, o irmão menor do Hi-Way...

[ 10/12/2018 ]
O Volkswagen Logus, a Ferrari Dino e os ...

[ 7/12/2018 ]
Anfavea prevê crescimento de dois dígito...

[ 7/12/2018 ]
Argentina frustra estimativa de produção...

[ 7/12/2018 ]
Demanda por máquinas agrícolas e rodoviá...

[ 7/12/2018 ]
Para Anfavea, montadoras terão de arcar ...

[ 7/12/2018 ]
Brasileiro não está disposto a trabalhar...

[ 7/12/2018 ]
Até novembro, mais de 2,7 milhões de veí...

[ 7/12/2018 ]
2018, o ano em que a indústria retomou o...

[ 7/12/2018 ]
Fábrica da Goodyear em Americana complet...

[ 7/12/2018 ]
Iveco lança o caminhão pesado Hi-Road...

[ 7/12/2018 ]
Como a indústria automobilística brasile...




 

Data: 13/6/2018

Metalúrgicos da Toyota fecham acordo no ABC
 
Os trabalhadores da Toyota, em São Bernardo do Campo (ABC), aprovaram ontem proposta de acordo coletivo negociada com a montadora. A convenção em vigor, aprovada no ano passado, teve as cláusulas sociais renovadas até 2019. Os salários serão reajustados em setembro, que é a data-base da categoria, pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Esse índice de inflação será usado também para ajustar o valor da PLR (Participação nos Lucros e Resultados). No ano passado, foi de R$ 17.079.

O pagamento da grana desse benefício seguirá sendo feito em duas parcelas, uma em junho, e a outra, no mês de dezembro.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a montadora teria se comprometido a discutir aumento real (acima da inflação) em 2019.

Outras empresas

No mês passado, os trabalhadores da Mercedes-Benz, também em São Bernardo, fecharam acordo por reajuste pela inflação mais 1,5% de aumento real, abono e PLR, após encerrar greve.

Em abril foi a vez da fábrica da Ford no município, que fechou acordo de estabilidade de emprego até novembro do ano que vem e reajuste pelo INPC.

Fonte : Agora S. Paulo/Fernanda Brigatti