[ 24/9/2018 ]
Volkswagen pretende iniciar produção de ...

[ 24/9/2018 ]
Crise na Argentina desafia produção de v...

[ 24/9/2018 ]
Salão do Automóvel foca nos elétricos e ...

[ 24/9/2018 ]
Presidenciáveis rejeitam renovar subsídi...

[ 24/9/2018 ]
Jetta ganha traços mais esportivos na li...

[ 24/9/2018 ]
O maior acerto de uma montadora francesa...

[ 24/9/2018 ]
Governo alemão e montadoras continuam co...

[ 24/9/2018 ]
VWCO e Ambev somam forças em prol da mob...

[ 24/9/2018 ]
Salão do Automóvel 2018 terá atrações di...

[ 24/9/2018 ]
GM anuncia vencedores do Prêmio de Suste...

[ 21/9/2018 ]
Volkswagen já avalia alternativas para a...

[ 21/9/2018 ]
Rota 2030 deverá passar no Congresso em ...

[ 21/9/2018 ]
Veículos mais "limpos" evoluem, mas aind...

[ 21/9/2018 ]
Volkswagen trabalhará aos sábados...

[ 21/9/2018 ]
Preço do GNV sobe mais do que o da gasol...

[ 21/9/2018 ]
ANP libera mais R$706,6 milhões à Petrob...

[ 21/9/2018 ]
Diminui a confiança dos empresários da i...

[ 21/9/2018 ]
Jetta ganha traços mais esportivos na li...

[ 21/9/2018 ]
Ambiental restaura trólebus que reúne a ...

[ 21/9/2018 ]
Ônibus, responsável pelo transporte de 8...




 

Data: 13/6/2018

Metalúrgicos da Toyota fecham acordo no ABC
 
Os trabalhadores da Toyota, em São Bernardo do Campo (ABC), aprovaram ontem proposta de acordo coletivo negociada com a montadora. A convenção em vigor, aprovada no ano passado, teve as cláusulas sociais renovadas até 2019. Os salários serão reajustados em setembro, que é a data-base da categoria, pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Esse índice de inflação será usado também para ajustar o valor da PLR (Participação nos Lucros e Resultados). No ano passado, foi de R$ 17.079.

O pagamento da grana desse benefício seguirá sendo feito em duas parcelas, uma em junho, e a outra, no mês de dezembro.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a montadora teria se comprometido a discutir aumento real (acima da inflação) em 2019.

Outras empresas

No mês passado, os trabalhadores da Mercedes-Benz, também em São Bernardo, fecharam acordo por reajuste pela inflação mais 1,5% de aumento real, abono e PLR, após encerrar greve.

Em abril foi a vez da fábrica da Ford no município, que fechou acordo de estabilidade de emprego até novembro do ano que vem e reajuste pelo INPC.

Fonte : Agora S. Paulo/Fernanda Brigatti