[ 24/9/2018 ]
Volkswagen pretende iniciar produção de ...

[ 24/9/2018 ]
Crise na Argentina desafia produção de v...

[ 24/9/2018 ]
Salão do Automóvel foca nos elétricos e ...

[ 24/9/2018 ]
Presidenciáveis rejeitam renovar subsídi...

[ 24/9/2018 ]
Jetta ganha traços mais esportivos na li...

[ 24/9/2018 ]
O maior acerto de uma montadora francesa...

[ 24/9/2018 ]
Governo alemão e montadoras continuam co...

[ 24/9/2018 ]
VWCO e Ambev somam forças em prol da mob...

[ 24/9/2018 ]
Salão do Automóvel 2018 terá atrações di...

[ 24/9/2018 ]
GM anuncia vencedores do Prêmio de Suste...

[ 21/9/2018 ]
Volkswagen já avalia alternativas para a...

[ 21/9/2018 ]
Rota 2030 deverá passar no Congresso em ...

[ 21/9/2018 ]
Veículos mais "limpos" evoluem, mas aind...

[ 21/9/2018 ]
Volkswagen trabalhará aos sábados...

[ 21/9/2018 ]
Preço do GNV sobe mais do que o da gasol...

[ 21/9/2018 ]
ANP libera mais R$706,6 milhões à Petrob...

[ 21/9/2018 ]
Diminui a confiança dos empresários da i...

[ 21/9/2018 ]
Jetta ganha traços mais esportivos na li...

[ 21/9/2018 ]
Ambiental restaura trólebus que reúne a ...

[ 21/9/2018 ]
Ônibus, responsável pelo transporte de 8...




 

Data: 25/6/2018

Grupo Volkswagen divide responsabilidades
 
O Grupo Volkswagen está a caminho de mudar a maneira como atua no mundo, descentralizando o seu poder e dividindo o comando das regiões às suas diferentes marcas como parte de uma revisão estratégica.

“Estamos distribuindo a responsabilidade em vários ombros”, afirma comunicado divulgado na sexta-feira, 22, o recém-nomeado CEO da organização, Herbert Diess. “Isso significa que, no futuro, será possível tomar decisões de maneira mais descentralizada e o Conselho de Administração do Grupo poderá se concentrar em tópicos estratégicos abrangentes. Dessa forma, tornaremos a Volkswagen mais ágil, enxuta e eficiente.”

Na nova estrutura que se desenha, a marca Volkswagen assumirá a administração das operações na América do Norte, América do Sul e região Subsaariana. A Seat será responsável pelo mercado no Norte da África. A Audi coordenará o Oriente Médio e a região da Ásia-Pacífico, exceto a China, que permanece sob a alçada do Grupo. Depois, a Skoda ficará a cargo dos mercados da Rússia e Índia.

Segundo a companhia, o objetivo de atribuir à marca a responsabilidade pelas regiões é adequar a linha de produtos aos requisitos de cada mercado e às necessidades dos clientes de maneira mais rápida e eficaz, com base na experiência acumulada.

No futuro, a marca líder regional será encarregada de sincronizar a estratégia do Grupo para a sua região, bem como coordenar as atividades da marca, as parcerias e explorar as possíveis sinergias.

Fonte : AutoIndústria