[ 20/11/2018 ]
Brasileiro, presidente do grupo Renault-...

[ 20/11/2018 ]
Financiamento de veículos novos e usados...

[ 20/11/2018 ]
Mercado de ônibus usados recua 4,35% no ...

[ 20/11/2018 ]
Regime automotivo Rota 2030 ainda depend...

[ 20/11/2018 ]
Mercado financeiro reduz expectativa de ...

[ 20/11/2018 ]
Litro da gasolina supera os R$ 7 em post...

[ 20/11/2018 ]
Emissão de carteira de motorista no Bras...

[ 20/11/2018 ]
O Opala completa 50 anos ...

[ 20/11/2018 ]
Mercado automotivo da China caminha para...

[ 20/11/2018 ]
Luta da China contra poluição torna palá...

[ 19/11/2018 ]
Montadoras iniciam teste de serviço de c...

[ 19/11/2018 ]
Setor automotivo foi o que mais recebeu ...

[ 19/11/2018 ]
Governo de São Paulo autoriza montadoras...

[ 19/11/2018 ]
Mercosul e União Europeia não superam im...

[ 19/11/2018 ]
Com guerra comercial, exportação brasile...

[ 19/11/2018 ]
Imposto de importação aumenta custos de ...

[ 19/11/2018 ]
Vendas de máquinas agrícolas registram a...

[ 19/11/2018 ]
Renault comemora 20 anos de fabricação d...

[ 19/11/2018 ]
JAC lança T50 e anuncia importação de pi...

[ 19/11/2018 ]
Mercedes-Benz tem 56% do mercado de ônib...




 

Data: 10/7/2018

Revigorado, setor automotivo em Ribeirão Preto analisa crescimento nas vendas
 
A edição da Revista Revide desta semana traz na capa um assunto bastante animador para a economia do País e, também, para quem deseja comprar um carro novo. A reportagem de destaque mostra o otimismo com relação a retomada do setor automotivo em Ribeirão Preto e em todo o Brasil, com aumento nas vendas em 13% no primeiro semestre de 2018, em relação ao mesmo período do ano passado.

No evento de lançamento realizado na manhã desta sexta-feira, 6, na Faculdade Faap, em Ribeirão Preto, mediados pelos diretores da Revide Isabel de Farias e Murilo Pinheiro, reuniram-se três personagens que ilustram a capa da Revide, Eliéser Fraga, diretor do Grupo Matriz Concessionárias, Evaldo Gomes Carvalho, sócio-propietário da Keiji Nissan, e Rui Flávio Guião, presidente do Conselho do Grupo Santa Emília, para discutir esse tema e apresentando um panorama deste crescimento.

Os três foram unânimes em seus comentários e suas apresentações sobre dois temas: as crises econômicas servem para aprender e que a internet é uma ferramenta muito importante para as vendas, e é uma grande aliada neste momento.

“Tivemos crises muito grandes e a gente sempre se recuperou. Além disso, 2018 é um ano muito promissor”, afirma Rui Flavio Guião, que acredita que o debate de ideias entre aqueles que estão envolvidos no mercado automobilístico para analisar as melhores iniciativas para a recuperação é uma boa alternativa.

“Essa iniciativa é muito importante, porque é um mercado muito expressivo do ponto de vista econômico. Nós temos 38 concessionárias em Ribeirão Preto, as 27 marcas que são produzidas no Brasil estão representadas em Ribeirão Preto e a indústria automobilística representa 4% do PIB nacional. Hoje, temos 64 plantas fabris no País, uma frota de quase 70 milhões de veículos, é um setor pujante e acho interessante essa troca de ideias, principalmente em um momento, após a recessão, em que o setor se recupera”, diz o representante do Grupo Santa Emília.

Ele ainda apontou que é cada vez mais perceptível que os clientes vão às lojas e concessionárias decididos sobre o produto que vão adquirir, e não mais apenas para pesquisar. O mesmo raciocínio segue Evaldo Gomes de Carvalho, que aponta que 80% das vendas têm início na internet.

“Por isso, precisamos estar atentos na contratação de vendedores com esse perfil diferenciado, que saibam interagir com os clientes por meio das ferramentas digitais”, disse Evaldo, que ainda apontou que o mercado tem que estar informado, também, sobre o mercado de veículos adaptados para Pessoas Com Deficiência (PCD), em razão dos incentivos governamentais destinados para este público.

Ele lembra que em 2017 foram comercializados 187 mil veículos nestas condições. “É um segmento que não podemos desprezar”, salienta Evaldo, que diz que mercado do automóvel no Brasil influencia positivamente diversos setores.

“Eu acho fundamental um encontro deste nível, porque temos a 20ª maior economia de veículos do Brasil. É um segmento que impulsiona outros fatores, como a indústria dos seguros, do financiamento, de acessórios e autopeças. Quando falamos do crescimento deste mercado, isso impulsiona outros setores da indústria e do comércio. É muito importante se reunir com os principais players para um debate importantíssimo”, pontua.

Novidades para o mercado

Já Eliéser Fraga comemorou a assinatura da medida provisória Rota 2030 Mobilidade e Logística, pelo presidente Michel Temer (MDB), nessa quinta-feira, 5, que cria um novo regime automotivo no Brasil incentivando as montadoras a aumentar a segurança dos veículos e prover melhorias no consumo de combustível.

Esta medida colocará R$ 1,5 bilhão em crédito tributário para as fábricas seguirem as novas normas. Além de zerar a alíquota de importação, que chegava a 30% ao valor do veículo. “Vai proporcionar mais credibilidade ao mercado automobilístico. Isso é importante porque trabalhamos com marcas importadas. Não tem mais motivos a ter essa taxa, até porque o dólar está batendo 4 reais”, analisou Eliéser.

Ele acredita que o efeito desta medida vai ser muito positivo para o mercado, que aponta como um dos dois principais pilares da economia nacional. “O setor automotivo é de extrema relevância para o mercado, ele traz muito emprego, a cadeia automotiva é muito grande, importante para a mobilidade do País. A Revide já deu destaque ao setor imobiliário, que são os dois pilares do mercado brasileiro em geração de emprego e geração de impostos. Isso é muito importante”, conclui.

Fonte : Revista Revide/Leonardo Santos