[ 24/9/2018 ]
Volkswagen pretende iniciar produção de ...

[ 24/9/2018 ]
Crise na Argentina desafia produção de v...

[ 24/9/2018 ]
Salão do Automóvel foca nos elétricos e ...

[ 24/9/2018 ]
Presidenciáveis rejeitam renovar subsídi...

[ 24/9/2018 ]
Jetta ganha traços mais esportivos na li...

[ 24/9/2018 ]
O maior acerto de uma montadora francesa...

[ 24/9/2018 ]
Governo alemão e montadoras continuam co...

[ 24/9/2018 ]
VWCO e Ambev somam forças em prol da mob...

[ 24/9/2018 ]
Salão do Automóvel 2018 terá atrações di...

[ 24/9/2018 ]
GM anuncia vencedores do Prêmio de Suste...

[ 21/9/2018 ]
Volkswagen já avalia alternativas para a...

[ 21/9/2018 ]
Rota 2030 deverá passar no Congresso em ...

[ 21/9/2018 ]
Veículos mais "limpos" evoluem, mas aind...

[ 21/9/2018 ]
Volkswagen trabalhará aos sábados...

[ 21/9/2018 ]
Preço do GNV sobe mais do que o da gasol...

[ 21/9/2018 ]
ANP libera mais R$706,6 milhões à Petrob...

[ 21/9/2018 ]
Diminui a confiança dos empresários da i...

[ 21/9/2018 ]
Jetta ganha traços mais esportivos na li...

[ 21/9/2018 ]
Ambiental restaura trólebus que reúne a ...

[ 21/9/2018 ]
Ônibus, responsável pelo transporte de 8...




 

Data: 12/7/2018

Mercedes-Benz lidera segmento de caminhões sem ameaças
 
Encerrado o primeiro semestre do ano, a Mercedes-Benz segue como a montadora que mais vende caminhões no mercado brasileiro. De acordo com o balanço da Fenabrave, no período foram emplacados 9.260 modelos da marca. O volume representou evolução de 39,9% na comparação com os emplacamentos de um ano atrás (6.621 unidades) e participação de 28,6% nas vendas totais do período, de 32.338 caminhões, em alta de 50,7%. No fim dos seis primeiros meses de 2017, a empresa também liderava as vendas, porém, com fatia de quase 31% de um mercado de 21.457 unidades.

A perda de participação da Mercedes-Benz de um ano para cá se deve ao incremento nas vendas anotada por concorrentes diretos. A Volkswagen Caminhões e Ônibus, na vice-liderança, apurou crescimento de 65% nas vendas, para 8.352 caminhões, fechando o primeiro semestre com 25,8% do mercado. No acumulado até junho de 2017 seus licenciamentos somavam 5.065 unidades ou 23,6% das vendas.

Também a Volvo, em terceiro lugar, seguramente conquistou mais clientes para caminhões pesados e semipesados, categorias com as quais atua. De janeiro a junho, os licenciamentos da marca somaram 4.358 unidades, expressiva expansão de 83,5% sobre os 2.375 modelos vendidos no mesmo período do ano passado. Com o volume a montadora encerra os primeiros seis meses com 13,5% do mercado total.

No topo de lista das fabricantes que mais vendem, a Ford, em quarto lugar, se apresenta como a que menos cresceu ao longo dos últimos doze meses. Os 3.971 caminhões emplacados no primeiro semestre representaram um incremento de 15,7% sobre o contabilizado um ano antes, de 3.434 unidades. O desempenho da marca permitiu fechar semestre com participação de 12,3%, enquanto um ano antes, na terceira posição, tinha 16%.

A Scania, no quinto posto, segue a Ford de perto ao somar 3.914 licenciamentos, volume 72% superior ao anotado pela marca na comparação com o mesmo semestre de 2017 (2.276 unidades). A fabricante chega ao fim do período com 12,1% do total do mercado, 1,5 ponto porcentual a mais em relação ao que tinha ao fim dos primeiros seis meses do ano passado.

O ranking de vendas continua com a Iveco, em sexto, ao registrar 1.152 emplacamentos ou 3,56% de participação; a DAF, com vendas de 837 caminhões (2,56%); MAN, na oitava posição, com 436 licenciamentos (1,35%); Agrale, que somou apenas 28 unidades vendidas (0,09%); Hyundai, com o registro de 14 emplacamentos nos seis primeiros meses (0,04%).

Fonte : AutoIndústria/Décio Costa