[ 16/8/2018 ]
Linhares terá montadora de automóveis...

[ 16/8/2018 ]
Decreto vai regulamentar incentivo para ...

[ 16/8/2018 ]
No mercado de usados, só os pesados têm ...

[ 16/8/2018 ]
Com capacidade no limite, Hyundai chega ...

[ 16/8/2018 ]
Atividade econômica recua 0,99% no segun...

[ 16/8/2018 ]
Camex zera tarifa de máquinas e equipame...

[ 16/8/2018 ]
Produção de motos sobe 34,7% em julho, d...

[ 16/8/2018 ]
Mercado mundial de veículos cresceu 3,6%...

[ 16/8/2018 ]
Cuidados na volta das férias...

[ 16/8/2018 ]
Caminhoneiros podem fazer check-up gratu...

[ 16/8/2018 ]
Ford apresenta novo veículo em feira de ...

[ 15/8/2018 ]
Novo veículo compacto global da Volks de...

[ 15/8/2018 ]
Com capacidade no limite, Hyundai chega ...

[ 15/8/2018 ]
Scania incorpora nova maneira de vender ...

[ 15/8/2018 ]
Iochpe-Maxion reforça estratégia de inte...

[ 15/8/2018 ]
Vendas especiais para o público PCD disp...

[ 15/8/2018 ]
SUVs e hatches pequenos continuam ganhan...

[ 15/8/2018 ]
Brasil ganha nova geração do Porsche Cay...

[ 15/8/2018 ]
Tratores da Case IH serão entregues a pe...

[ 15/8/2018 ]
Aprenda a trocar os limpadores de para-b...




 

Data: 20/7/2018

Dois SUVs médios com preços incríveis
 
Os SUVs médios são a bola da vez. Depois da explosão de lançamentos de compactos, as montadoras este ano estão investindo em utilitários maiores. O problema é o preço dos lançamentos, que ultrapassam os R$ 125 mil iniciais. Porém, para quem quer pagar menos, Mitsubishi ASX e Hyundai ix35 são duas opções que, para a categoria, têm preços incríveis.

Referência e líder do segmento, o Jeep Compass começa em R$ 109.990. É um dos modelos mais baratos da categoria. Com exceção de ix35 e ASX, os demais têm tabela acima da do primeiro colocado.

A nova geração do Tiguan, por exemplo, parte de cerca de R$ 125 mil, e pode chegar aos R$ 180 mil na versão de topo. O Equinox sai por mais de R$ 135 mil e o 3008 ultrapassa os R$ 140 mil iniciais.

Já a nova geração do CR-V sofreu um aumento de preço pouco depois do lançamento. Em versão única, sai por R$ 189 mil.

Do time dos veteranos, o Kia Sportage parte de R$ 114.990. No momento, porém, está com bônus de R$ 5 mil, e sai por R$ 109.990, mesmo valor do Compass. Já o RAV4 começa em R$ 129.990.

O SUV médio mais barato do Brasil é o ix35. O modelo parte de R$ 99.990, ou R$ 10 mil a menos que o Compass. O ASX mais em conta é um pouquinho mais caro, a R$ 103.990.

Nas versões mais simples, é o ASX, entre os dois, o modelo que mais vale a pena. Essa opção do Mitsubishi já vem com o básico e mais um pouco.

De série, há central multimídia com tela de 6,2″, câmera de ré, ar-condicionado automático e partida sem chave. A tração é dianteira e as suspensões, independentes nos dois eixos.

Já o ix35 mais simples (também traz suspensões independentes) deixa muito a desejar no quesito equipamentos. O ar-condicionado é manual e não há central multimídia – apenas rádio com Bluetooth.

O Hyundai também não traz partida sem chave. Porém, o banco é parcialmente revestido de couro – de tecido no ASX.

Uma falha grave dos dois modelos é não oferecerem controle eletrônico de estabilidade nas versões de entrada. Esse item já está disponível, desde a base, em todos os outros concorrentes – e também na maioria dos SUVs compactos, mais baratos.

E é aí que o ix35 começa a fazer um pouco mais de sentido que o ASX. Por R$ 108.990, a versão intermediária inclui controles eletrônicos de estabilidade e tração.

Além disso, traz câmera de ré, botão de partida, start/stop e central multimídia com tela de 7″.

ASX intermediário

O “problema” do Mitsubishi é que a versão intermediária já vem com tração 4×4. O preço sobe muito em relação à versão de entrada. No entanto, ainda é competitivo na comparação com o de outros rivais – até pelo fato de ter tração nas quatro rodas.

A tabela vai a R$ 120.990 e, além do sistema 4×4, há start/stop, controle de estabilidade, hill holder, controlador de velocidade, central multimídia com tela maior e bancos de couro com ajuste elétrico.

Há ainda as versões de topo dos dois carros, estas um pouco menos interessantes na comparação com os demais rivais. A do ix35, a R$ 131.290, traz bancos totalmente revestidos de couro, câmera de ré, airbags laterais e do tipo cortina, controlador de velocidade e ar-condicionado de duas zonas.

A do ASX, por R$ 129.990, mantém a tração 4×4 e acrescenta teto solar e faróis de xenônio. A tração do ix35 é sempre dianteira.

Eles valem a pena?

Em minha opinião, valem muito. Mas só para quem não faz questão de ter “o carro do momento”, ou abrem mão de certa modernidade em prol da economia na hora de comprar o veículo.

Ambos trazem motores 2.0 flexíveis. São até 167 cv no ix35 e 170 cv de potência máxima no ASX. O Hyundai usa câmbio de seis marchas e o Mitsubishi, CVT.

O ASX tem desempenho digno. O câmbio o deixa um pouco lento nas retomadas com pé fundo no pedal do acelerador. Porém, para ganhar velocidade gradualmente, ele vai bem, graças à boa potência.

Ambos têm acabamento desprovido de modernidade, mas igualmente bem feitos. Não impressionam, mas também não decepcionam.

Eles também vão bem em dirigibilidade, com boas respostas da direção.

O espaço interno é equivalente ao do Compass, Sportage e RAV4, mas fica aquém dos oferecidos por Equinox e Tiguan (que estão em outro patamar de preço).

O ix35 tem 2,64 metros de entre-eixos e o ASX, 2,67 m. Eles acomodam bem duas pessoas atrás. O porta-malas do Hyundai, de acordo com a fabricante, tem 728 litros. O do ASX é menor, mas também bem espaçoso (415 litros).

Assim, se você precisa de espaço, porta-malas e não quer gastar muito além dos R$ 100 mil, essas são as melhores opções.

Fonte : Jornal do Carro