[ 14/11/2018 ]
Com dívida de R$ 500 milhões, Grupo SHC,...

[ 14/11/2018 ]
SsangYong Brasil anuncia nova etapa de e...

[ 14/11/2018 ]
Movida tem lucro recorde no terceiro tri...

[ 14/11/2018 ]
Crise acelera aporte externo de múltis b...

[ 14/11/2018 ]
Volkswagen começará testes de ônibus híb...

[ 14/11/2018 ]
Hyundai Creta ganha versão automática ma...

[ 14/11/2018 ]
Volkswagen Caminhões lança o Delivery 13...

[ 14/11/2018 ]
Primeiro e-Delivery começa a operar no t...

[ 14/11/2018 ]
Butiques do salão têm presentes para tod...

[ 14/11/2018 ]
Mercedes-Benz amplia presença no Oriente...

[ 13/11/2018 ]
“2019 é o ano-chave para a Volkswagen do...

[ 13/11/2018 ]
Camex reduz tarifa de importação de auto...

[ 13/11/2018 ]
União Europeia frustra Mercosul em prime...

[ 13/11/2018 ]
Indústria automotiva espera manter cresc...

[ 13/11/2018 ]
Governo vai reformular seguro para expor...

[ 13/11/2018 ]
Dólar mais estável favorece mercado de i...

[ 13/11/2018 ]
Mercado reduz estimativa de inflação par...

[ 13/11/2018 ]
Scania e Sabesp demonstram ônibus movido...

[ 13/11/2018 ]
Saiba mais na hora de comprar um usado...

[ 13/11/2018 ]
Google revela montadoras mais procuradas...




 

Data: 17/10/2018

Mercedes-Benz leva o balcão de peças para as prateleiras
 
Parceria entre a Mercedes-Benz e o concessionário De Nigris, de Sorocaba (SP) promoveu a introdução do primeiro Mercado de Peças Mercedes-Benz, espaço criado dentro da loja com jeito de supermercado onde o próprio escolhe o que precisa dentre peças e acessórios.

O conceito não é novidade no varejo, mas pioneiro em concessionária de veículos comerciais. A iniciativa persegue objetivo de alavancar as vendas de peças de reposição e serviços. “Estamos trazendo para as prateleiras o que fica escondido atrás do balcão do atendimento de peças”, resume Jaqueline Neves, gerente sênior de vendas e marketing de peças e serviços ao cliente da Mercedes-Benz.

Nas gondolas do espaço criado na De Nigris, estão expostos mais de 200 itens das três marcas de peças da marca: Genuína, Alliance (de uso multimarca) e Renov (componentes remanufaturados), além de produtos de conservação, limpeza e acessórios para caminhões, ônibus e comerciais leves.

Para a gerente da fabricante, o mercado amplia as possiblidades de vendas casadas, ou seja, ao levar o filtro de óleo o consumidor também pode se decidir pelo lubrificante.

“Hoje, a compra peças é muito racional. O cliente já chega no balcão sabendo o que quer. Os produtos expostos aumentam as oportunidades de ele lembrar de outras necessidades”, acredita Jacqueline Neves. “Depois também se torna um canal para o cliente conhecer outras alternativas de compra, como a linha Alliance e a de remanufaturados.”

Embora a loja seja de autoatendimento, com preços e formas de pagamentos fixados junto aos produtos, a gerente adianta que o cliente também tem à disposição consultores técnicos para resolver quaisquer dúvidas a respeito da aplicação das peças e componentes.

Soma-se ainda à ideia do supermercado de peças garantir ao cliente da marca conveniência, praticidade e rapidez no atendimento. “Queremos também romper com a imagem de que o preço da concessionária é mais caro”, conta Afabio Freitas, diretor da De Nigris Sorocaba, Itu e Itupeva. “Estudos contínuos nos permitirão entender com expor e que tipo de peças e kits de componentes deverão estar mais presentes nas gondolas.”

A novidade de Mercedes-Benz funciona desde agosto e foi uma iniciativa da própria De Nigris, que bateu na porta do departamento de vendas e pós-venda da fabricante em busca de ajuda para atrair mais clientes.

Freitas não revela números até mesmo em virtude do pouco tempo de abertura do mercado, mas já contabiliza um aumento de 10% no movimento da casa, índice que acredita ser o que terá a mais no faturamento de peças e serviços da casa. “Trouxemos mais possibilidades de ter o cliente mais próximo, de visibilidade e fidelização.”

Os planos da Mercedes-Benz é expandir o conceito para toda a rede. Jacqueline Neves estima que até o fim do ano que vem pelos menos cinco novas concessionárias tenham em seu espaço o Mercado de Peças. “Já temos consultas e projetos arquitetônicos elaborados de acordo com o tamanho da concessionária ou conforme o número de visitas na oficina”.

Fonte : AutoIndústria/Décio Costa