[ 14/11/2018 ]
Com dívida de R$ 500 milhões, Grupo SHC,...

[ 14/11/2018 ]
SsangYong Brasil anuncia nova etapa de e...

[ 14/11/2018 ]
Movida tem lucro recorde no terceiro tri...

[ 14/11/2018 ]
Crise acelera aporte externo de múltis b...

[ 14/11/2018 ]
Volkswagen começará testes de ônibus híb...

[ 14/11/2018 ]
Hyundai Creta ganha versão automática ma...

[ 14/11/2018 ]
Volkswagen Caminhões lança o Delivery 13...

[ 14/11/2018 ]
Primeiro e-Delivery começa a operar no t...

[ 14/11/2018 ]
Butiques do salão têm presentes para tod...

[ 14/11/2018 ]
Mercedes-Benz amplia presença no Oriente...

[ 13/11/2018 ]
“2019 é o ano-chave para a Volkswagen do...

[ 13/11/2018 ]
Camex reduz tarifa de importação de auto...

[ 13/11/2018 ]
União Europeia frustra Mercosul em prime...

[ 13/11/2018 ]
Indústria automotiva espera manter cresc...

[ 13/11/2018 ]
Governo vai reformular seguro para expor...

[ 13/11/2018 ]
Dólar mais estável favorece mercado de i...

[ 13/11/2018 ]
Mercado reduz estimativa de inflação par...

[ 13/11/2018 ]
Scania e Sabesp demonstram ônibus movido...

[ 13/11/2018 ]
Saiba mais na hora de comprar um usado...

[ 13/11/2018 ]
Google revela montadoras mais procuradas...




 

Data: 18/10/2018

Venda de automóveis na Europa recua 23% em setembro
 
No mês passado, os licenciamentos de automóveis na União Europeia registram queda de 23,5% com pouco mais de 1 milhão de unidades vendidas frente aos 1,4 milhões de carros vendidos em setembro de 2017. Os dados são da Acea, a associação que representa os fabricantes de veículos no continente, divulgados na quarta-feira, 17 de outubro.

O forte recuo apurado não foi absorvido como surpresa pelo setor. Segundo nota da Acea, a introdução de novo procedimento de teste de emissões para veículos leves, o WLTP, no início de setembro provocou “aumento excepcional nos registros em agosto (31,2%)”.

A antecipação de compras ocorrida resultou em um desempenho negativo acima de dois dígitos em praticamente todos os mercados europeus. A Alemanha, por exemplo, o maior deles, fechou o mês em queda de 30,5% para 200,1 mil unidades contra 288 mil emplacamentos de um ano antes.

Apesar do declínio no mês passado, o resultado apurado nos nove primeiros meses do ano permaneceu positivo com 11,9 milhões de carro negociados, volume que representou alta de 2,5% em relação ao mesmo período do ano passado, quando acumulou 11,6 milhões de unidades licenciadas.

O Grupo Volkswagen, FCA e Renault foram os maiores perdedores com desempenho negativos das vendas na Europa com quedas de 48% (171,9 mil unidades), 31,9% (60,4 mil) e 27% (94,9 mil), respectivamente.

Fonte : AutoIndústria