[ 8/3/2019 ]
Governo cobra da Ford solução para fábri...

[ 8/3/2019 ]
Foton inaugura nova revenda em São Paulo...

[ 8/3/2019 ]
Venda de importados cai 3% em fevereiro...

[ 8/3/2019 ]
Em São Bernardo, trabalhadores da Ford f...

[ 8/3/2019 ]
Caminhões e ônibus lideram venda de veíc...

[ 8/3/2019 ]
Roberto Cortes tem audiência com o gover...

[ 8/3/2019 ]
Volvo vai limitar carros a 180 km/h a pa...

[ 8/3/2019 ]
Chevrolet Cruze deixa de ser fabricado n...

[ 8/3/2019 ]
Toyota anuncia aposentadoria de Steve St...

[ 8/3/2019 ]
BYD Europa fornecerá 30 ônibus elétricos...

[ 7/3/2019 ]
Trabalhadores da Ford convocam protesto ...

[ 7/3/2019 ]
Vendas de caminhões avança 66% em fevere...

[ 7/3/2019 ]
Mercado de veículos usados segue em alta...

[ 7/3/2019 ]
Mercado reduz expectativa de crescimento...

[ 7/3/2019 ]
Conceito de Indústria 4.0 chega à linha ...

[ 7/3/2019 ]
Programa de inclusão social de Resende g...

[ 7/3/2019 ]
Volvo FH540 assume liderança das vendas ...

[ 7/3/2019 ]
Etios despenca nas vendas com chegada do...

[ 7/3/2019 ]
Bugatti lança o carro mais caro da histó...

[ 7/3/2019 ]
Quem é Carlos Ghosn, executivo brasileir...




 

Data: 7/11/2018

BMW anuncia investimento de R$ 125 milhões em Santa Catarina
 
A BMW do Brasil anunciou ontem, terça-feira, 6, investimento de R$ 125 milhões para produzir na fábrica de Araquari (SC) as novas gerações do sedã Série 3 e do utilitário-esportivo X4. O SUV começa a ser fabricado ainda em dezembro e sedã em 2019.

A fábrica de modelos de luxo quase perdeu a produção do Série 3, que teve sua nova geração apresentada no mês passado no Salão de Paris. Inicialmente ela chegará ao Brasil importada da Alemanha e, no segundo semestre do próximo ano passará a ser nacional.

BMW X4

“Foi um grande avanço a aprovação do novo investimento para o Brasil”, disse o presidente da empresa no País, Helder Boavida. A fábrica inaugurada em 2014 tem capacidade para produzir 30 mil veículos ao ano, mas este ano deverá fabricar 10 mil, ante 15 mil em 2017, quando conseguiu uma grande encomenda dos Estados Unidos, já encerrada.

O executivo afirma que o grupo perdeu outro projeto para filial do grupo em razão do atraso na aprovação da nova política industrial do setor, o Rota 2030. Ele não quis dar detalhes do produto e nem do país para onde a produção foi destinada. “O atraso do Rota, que deveria ter sido iniciado no ano passado, teve custos para nossa operação no Brasil”, disse.

Hoje, a fábrica produz as versões antigas do Série 3 e dos X4, que serão descontinuadas, e X1 e X3. O grupo já havia deixado de produzir localmente o Mini Countryman em 2017.

O atraso no Rota 2030 preocupa também outras montadoras. “Todos os negócios que desenvolvemos foram feitos com a premissa de aprovação do Rota e, se o programa não sair, teremos de sentar com o acionista novamente para rever planos”, afirmou o presidente da FCA Fiat Chrysler, Antonio Filosa. O grupo tem um plano de investir de R$ 14 bilhões até 2023.

Fonte : O Estado de S. Paulo/Cleide Silva