[ 8/3/2019 ]
Governo cobra da Ford solução para fábri...

[ 8/3/2019 ]
Foton inaugura nova revenda em São Paulo...

[ 8/3/2019 ]
Venda de importados cai 3% em fevereiro...

[ 8/3/2019 ]
Em São Bernardo, trabalhadores da Ford f...

[ 8/3/2019 ]
Caminhões e ônibus lideram venda de veíc...

[ 8/3/2019 ]
Roberto Cortes tem audiência com o gover...

[ 8/3/2019 ]
Volvo vai limitar carros a 180 km/h a pa...

[ 8/3/2019 ]
Chevrolet Cruze deixa de ser fabricado n...

[ 8/3/2019 ]
Toyota anuncia aposentadoria de Steve St...

[ 8/3/2019 ]
BYD Europa fornecerá 30 ônibus elétricos...

[ 7/3/2019 ]
Trabalhadores da Ford convocam protesto ...

[ 7/3/2019 ]
Vendas de caminhões avança 66% em fevere...

[ 7/3/2019 ]
Mercado de veículos usados segue em alta...

[ 7/3/2019 ]
Mercado reduz expectativa de crescimento...

[ 7/3/2019 ]
Conceito de Indústria 4.0 chega à linha ...

[ 7/3/2019 ]
Programa de inclusão social de Resende g...

[ 7/3/2019 ]
Volvo FH540 assume liderança das vendas ...

[ 7/3/2019 ]
Etios despenca nas vendas com chegada do...

[ 7/3/2019 ]
Bugatti lança o carro mais caro da histó...

[ 7/3/2019 ]
Quem é Carlos Ghosn, executivo brasileir...




 

Data: 20/11/2018

Regime automotivo Rota 2030 ainda depende da sanção de Temer
 
Rota 2030 ainda depende da sanção do presidente Michel Temer. O decreto assinado na abertura do Salão do Automóvel, realizado em São Paulo na semana passada, não garante a eficácia ao novo regime automotivo brasileiro, como explicou a advogada tributarista, Tayla Alves.

Na votação da Medida Provisória, a Câmara dos Deputados suprimiu dos importadores a habilitação ao programa, incluiu a redução de IPI em até três pontos percentuais para veículos híbridos, flex e etanol e o Reintegra entre 2% e 5%.

A advogada Tayla Alves esclareceu o processo de habilitação e incentivos previstos.

O Rota 2030 garante até R$ 1,5 bilhão anuais em incentivos às montadoras para investimentos de R$ 5 bilhões em pesquisa e desenvolvimento.

Para que o Rota 2030 possa valer são necessárias a publicação no Diário Oficial da União, da MP aprovada pelo Congresso e sancionada por Temer, e o decreto que regulamenta a medida.

Fonte : Portal Jovem Pan/Marcelo Mattos