[ 14/12/2018 ]
Venda de veículos pode crescer até 12% e...

[ 14/12/2018 ]
Toyota produzirá veículo híbrido flex em...

[ 14/12/2018 ]
Mecanização tem novo avanço na agricultu...

[ 14/12/2018 ]
Secretário do Tesouro critica postura de...

[ 14/12/2018 ]
OMC condena cinco de sete programas de i...

[ 14/12/2018 ]
Fux revoga sua própria decisão e multas ...

[ 14/12/2018 ]
Valor do seguro obrigatório cairá 63,3% ...

[ 14/12/2018 ]
Indústria automotiva do Sul Fluminense c...

[ 14/12/2018 ]
Ford Ranger Storm: versão com visual de ...

[ 14/12/2018 ]
Petroleira apoiou plano de Trump de carr...

[ 13/12/2018 ]
Montadoras pedem benefícios fiscais para...

[ 13/12/2018 ]
Siemens cria área com foco no setor auto...

[ 13/12/2018 ]
Volkswagen Caminhões e Ônibus amplia pro...

[ 13/12/2018 ]
Sindipeças fecha contratos coletivos de ...

[ 13/12/2018 ]
Projeto da Mercedes-Benz de educação no ...

[ 13/12/2018 ]
Família poderá entrar em imóvel de Ghosn...

[ 13/12/2018 ]
Renault pede que Nissan não contate seus...

[ 13/12/2018 ]
Transportes são responsáveis por 25% das...

[ 13/12/2018 ]
Grupo VIP adquire 50 ônibus Mercedes-Ben...

[ 12/12/2018 ]
Temer sanciona Rota 2030 com veto a bene...




 

Data: 20/11/2018

Regime automotivo Rota 2030 ainda depende da sanção de Temer
 
Rota 2030 ainda depende da sanção do presidente Michel Temer. O decreto assinado na abertura do Salão do Automóvel, realizado em São Paulo na semana passada, não garante a eficácia ao novo regime automotivo brasileiro, como explicou a advogada tributarista, Tayla Alves.

Na votação da Medida Provisória, a Câmara dos Deputados suprimiu dos importadores a habilitação ao programa, incluiu a redução de IPI em até três pontos percentuais para veículos híbridos, flex e etanol e o Reintegra entre 2% e 5%.

A advogada Tayla Alves esclareceu o processo de habilitação e incentivos previstos.

O Rota 2030 garante até R$ 1,5 bilhão anuais em incentivos às montadoras para investimentos de R$ 5 bilhões em pesquisa e desenvolvimento.

Para que o Rota 2030 possa valer são necessárias a publicação no Diário Oficial da União, da MP aprovada pelo Congresso e sancionada por Temer, e o decreto que regulamenta a medida.

Fonte : Portal Jovem Pan/Marcelo Mattos