[ 8/3/2019 ]
Governo cobra da Ford solução para fábri...

[ 8/3/2019 ]
Foton inaugura nova revenda em São Paulo...

[ 8/3/2019 ]
Venda de importados cai 3% em fevereiro...

[ 8/3/2019 ]
Em São Bernardo, trabalhadores da Ford f...

[ 8/3/2019 ]
Caminhões e ônibus lideram venda de veíc...

[ 8/3/2019 ]
Roberto Cortes tem audiência com o gover...

[ 8/3/2019 ]
Volvo vai limitar carros a 180 km/h a pa...

[ 8/3/2019 ]
Chevrolet Cruze deixa de ser fabricado n...

[ 8/3/2019 ]
Toyota anuncia aposentadoria de Steve St...

[ 8/3/2019 ]
BYD Europa fornecerá 30 ônibus elétricos...

[ 7/3/2019 ]
Trabalhadores da Ford convocam protesto ...

[ 7/3/2019 ]
Vendas de caminhões avança 66% em fevere...

[ 7/3/2019 ]
Mercado de veículos usados segue em alta...

[ 7/3/2019 ]
Mercado reduz expectativa de crescimento...

[ 7/3/2019 ]
Conceito de Indústria 4.0 chega à linha ...

[ 7/3/2019 ]
Programa de inclusão social de Resende g...

[ 7/3/2019 ]
Volvo FH540 assume liderança das vendas ...

[ 7/3/2019 ]
Etios despenca nas vendas com chegada do...

[ 7/3/2019 ]
Bugatti lança o carro mais caro da histó...

[ 7/3/2019 ]
Quem é Carlos Ghosn, executivo brasileir...




 

Data: 5/12/2018

Alonso usará motor da Chevrolet na sua McLaren nas 500 Milhas de Indianápolis
 
Fernando Alonso será impulsionado pela Chevrolet na sua segunda tentativa de vencer as 500 Milhas de Indianápolis. Nesta terça-feira, a McLaren, equipe pela qual o piloto espanhol participará da principal prova do calendário da Fórmula Indy no próximo ano, anunciou que usará motores da montadora norte-americana na corrida em 2019.

A Indy possui apenas dois fornecedores de motores, sendo que o outro é a Honda, mas a McLaren teve uma relação turbulenta com a montadora japonesa no último período em que trabalharam juntos na Fórmula 1, de 2015 a 2017, com resultados decepcionantes, o que provocou o fim precoce da parceria.

Em 2017, inclusive, a Honda foi apontada como fator que atrapalhou Alonso a triunfar nas 500 Milhas de Indianápolis. Naquela oportunidade, o espanhol competiu com um carro fruto de parceria da McLaren com a Andretti. Ele liderou 27 voltas e chegou a ter chances de conquistar a vitória, mas precisou abandonar a corrida por causa de problemas do motor.

Alonso deixou de compor o grid da Fórmula 1, categoria em que foi campeão duas vezes, ao fim da temporada. Como já venceu o GP de Mônaco, em 2006 e 2007, e as 24 Horas de Le Mans, neste ano, o espanhol agora tentará triunfar nas 500 Milhas de Indianápolis, marcada para 26 de maio de 2019, para conquistar a "Tríplice Coroa" do automobilismo, se juntando a Graham Hill como piloto que já atingiu esse feito.

Neste ano, as 500 Milhas foram vencidas pelo australiano Will Power, que utilizou motor da Chevrolet em sua Penske. "Será um privilégio usar essa marca na edição de 2019 das 500 Milhas de Indianápolis. Ter o motor da Chevrolet comigo significa que estamos nos colocando na melhor posição possível para competir na frente", disse Alonso.

Fonte : O Estado de S. Paulo