[ 14/12/2018 ]
Venda de veículos pode crescer até 12% e...

[ 14/12/2018 ]
Toyota produzirá veículo híbrido flex em...

[ 14/12/2018 ]
Mecanização tem novo avanço na agricultu...

[ 14/12/2018 ]
Secretário do Tesouro critica postura de...

[ 14/12/2018 ]
OMC condena cinco de sete programas de i...

[ 14/12/2018 ]
Fux revoga sua própria decisão e multas ...

[ 14/12/2018 ]
Valor do seguro obrigatório cairá 63,3% ...

[ 14/12/2018 ]
Indústria automotiva do Sul Fluminense c...

[ 14/12/2018 ]
Ford Ranger Storm: versão com visual de ...

[ 14/12/2018 ]
Petroleira apoiou plano de Trump de carr...

[ 13/12/2018 ]
Montadoras pedem benefícios fiscais para...

[ 13/12/2018 ]
Siemens cria área com foco no setor auto...

[ 13/12/2018 ]
Volkswagen Caminhões e Ônibus amplia pro...

[ 13/12/2018 ]
Sindipeças fecha contratos coletivos de ...

[ 13/12/2018 ]
Projeto da Mercedes-Benz de educação no ...

[ 13/12/2018 ]
Família poderá entrar em imóvel de Ghosn...

[ 13/12/2018 ]
Renault pede que Nissan não contate seus...

[ 13/12/2018 ]
Transportes são responsáveis por 25% das...

[ 13/12/2018 ]
Grupo VIP adquire 50 ônibus Mercedes-Ben...

[ 12/12/2018 ]
Temer sanciona Rota 2030 com veto a bene...




 

Data: 5/12/2018

Alonso usará motor da Chevrolet na sua McLaren nas 500 Milhas de Indianápolis
 
Fernando Alonso será impulsionado pela Chevrolet na sua segunda tentativa de vencer as 500 Milhas de Indianápolis. Nesta terça-feira, a McLaren, equipe pela qual o piloto espanhol participará da principal prova do calendário da Fórmula Indy no próximo ano, anunciou que usará motores da montadora norte-americana na corrida em 2019.

A Indy possui apenas dois fornecedores de motores, sendo que o outro é a Honda, mas a McLaren teve uma relação turbulenta com a montadora japonesa no último período em que trabalharam juntos na Fórmula 1, de 2015 a 2017, com resultados decepcionantes, o que provocou o fim precoce da parceria.

Em 2017, inclusive, a Honda foi apontada como fator que atrapalhou Alonso a triunfar nas 500 Milhas de Indianápolis. Naquela oportunidade, o espanhol competiu com um carro fruto de parceria da McLaren com a Andretti. Ele liderou 27 voltas e chegou a ter chances de conquistar a vitória, mas precisou abandonar a corrida por causa de problemas do motor.

Alonso deixou de compor o grid da Fórmula 1, categoria em que foi campeão duas vezes, ao fim da temporada. Como já venceu o GP de Mônaco, em 2006 e 2007, e as 24 Horas de Le Mans, neste ano, o espanhol agora tentará triunfar nas 500 Milhas de Indianápolis, marcada para 26 de maio de 2019, para conquistar a "Tríplice Coroa" do automobilismo, se juntando a Graham Hill como piloto que já atingiu esse feito.

Neste ano, as 500 Milhas foram vencidas pelo australiano Will Power, que utilizou motor da Chevrolet em sua Penske. "Será um privilégio usar essa marca na edição de 2019 das 500 Milhas de Indianápolis. Ter o motor da Chevrolet comigo significa que estamos nos colocando na melhor posição possível para competir na frente", disse Alonso.

Fonte : O Estado de S. Paulo