[ 14/12/2018 ]
Venda de veículos pode crescer até 12% e...

[ 14/12/2018 ]
Toyota produzirá veículo híbrido flex em...

[ 14/12/2018 ]
Mecanização tem novo avanço na agricultu...

[ 14/12/2018 ]
Secretário do Tesouro critica postura de...

[ 14/12/2018 ]
OMC condena cinco de sete programas de i...

[ 14/12/2018 ]
Fux revoga sua própria decisão e multas ...

[ 14/12/2018 ]
Valor do seguro obrigatório cairá 63,3% ...

[ 14/12/2018 ]
Indústria automotiva do Sul Fluminense c...

[ 14/12/2018 ]
Ford Ranger Storm: versão com visual de ...

[ 14/12/2018 ]
Petroleira apoiou plano de Trump de carr...

[ 13/12/2018 ]
Montadoras pedem benefícios fiscais para...

[ 13/12/2018 ]
Siemens cria área com foco no setor auto...

[ 13/12/2018 ]
Volkswagen Caminhões e Ônibus amplia pro...

[ 13/12/2018 ]
Sindipeças fecha contratos coletivos de ...

[ 13/12/2018 ]
Projeto da Mercedes-Benz de educação no ...

[ 13/12/2018 ]
Família poderá entrar em imóvel de Ghosn...

[ 13/12/2018 ]
Renault pede que Nissan não contate seus...

[ 13/12/2018 ]
Transportes são responsáveis por 25% das...

[ 13/12/2018 ]
Grupo VIP adquire 50 ônibus Mercedes-Ben...

[ 12/12/2018 ]
Temer sanciona Rota 2030 com veto a bene...




 

Data: 5/12/2018

Vendas de ônibus sobem 27,45% entre janeiro e novembro
 
Os emplacamentos de ônibus entre janeiro e novembro deste ano tiveram elevação de 27,45%, com 17.201 unidades na comparação com mesmo período de 2017, quando foram emplacados 13.496 ônibus.

Os números são da Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, que reúne representantes de 51 associações de marcas de automóveis, e foram divulgados nesta segunda-feira, 03 de dezembro de 2018.

De acordo com profissionais de revendas e montadoras, uma conjunção de fatores pode explicar os resultados positivos, mas o principal deles é a recuperação gradual da economia brasileira e do nível de confiança.

Há, entretanto situações mais específicas, como a obrigatoriedade de os ônibus rodoviários saírem de fábrica com as plataformas elevatórias, o que pode deixar os veículos de 15% a 30% mais caros. Para escapar dos preços maiores, empresários de ônibus anteciparam algumas compras planejadas.

As eleições e as perspectivas em relação ao desenrolar de algumas licitações aqueceram, por sua vez, os segmentos de micro-ônibus e ônibus urbanos.

Entre outubro e novembro, a queda nos emplacamentos foi de 10,13%, em parte explicada pelo desaquecimento esperado para o segundo semestre e pela quantidade de feriados prolongados em novembro.

Entre as marcas, segundo a Fenabrave, no acumulado do ano, a Mercedes-Benz lidera com 59,2% de participação no mercado nacional de ônibus seguida de Volkswagen Caminhões & Ônibus (17,03%) e de Marcopolo (miniônibus Volare), com 9,9%.

Fonte : Diário do Transporte/Adamo Bazani