[ 14/12/2018 ]
Venda de veículos pode crescer até 12% e...

[ 14/12/2018 ]
Toyota produzirá veículo híbrido flex em...

[ 14/12/2018 ]
Mecanização tem novo avanço na agricultu...

[ 14/12/2018 ]
Secretário do Tesouro critica postura de...

[ 14/12/2018 ]
OMC condena cinco de sete programas de i...

[ 14/12/2018 ]
Fux revoga sua própria decisão e multas ...

[ 14/12/2018 ]
Valor do seguro obrigatório cairá 63,3% ...

[ 14/12/2018 ]
Indústria automotiva do Sul Fluminense c...

[ 14/12/2018 ]
Ford Ranger Storm: versão com visual de ...

[ 14/12/2018 ]
Petroleira apoiou plano de Trump de carr...

[ 13/12/2018 ]
Montadoras pedem benefícios fiscais para...

[ 13/12/2018 ]
Siemens cria área com foco no setor auto...

[ 13/12/2018 ]
Volkswagen Caminhões e Ônibus amplia pro...

[ 13/12/2018 ]
Sindipeças fecha contratos coletivos de ...

[ 13/12/2018 ]
Projeto da Mercedes-Benz de educação no ...

[ 13/12/2018 ]
Família poderá entrar em imóvel de Ghosn...

[ 13/12/2018 ]
Renault pede que Nissan não contate seus...

[ 13/12/2018 ]
Transportes são responsáveis por 25% das...

[ 13/12/2018 ]
Grupo VIP adquire 50 ônibus Mercedes-Ben...

[ 12/12/2018 ]
Temer sanciona Rota 2030 com veto a bene...




 

Data: 5/12/2018

Mercedes-Benz vai abrir 600 vagas no ABC e ampliar produção de caminhões
 
A Mercedes-Benz anunciou na manhã de ontem, terça-feira, 4, a contratação de 600 funcionários para a fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Com isso, a empresa volta a operar em dois turnos na linha de produção de caminhões, expediente que estava suspenso desde 2014.

No setor de componentes - motores, câmbio e eixos -, será retomado o terceiro turno de trabalho que estava suspenso há cinco anos. Os primeiros 400 contratados começam a trabalhar em janeiro e outras 200 vagas serão abertas em abril.

Mercedes-Benz

"Depois de momentos difíceis estamos otimistas com a melhora do mercado e aumento da produção", disse o presidente da Mercedes-Benz do Brasil e América Latina, Philipp Schiemer. As vendas de caminhões da marca cresceram quase 30% neste ano em relação a 2017 e devem crescer "mais dois dígitos" no próximo ano, prevê o executivo.

Inicialmente as novas vagas são por tempo determinado de um ano, com possibilidade de prorrogação por mais um ano. "Estamos otimistas mas precisamos ser cautelosos para não termos de demitir como ocorreu no passado", justifica Schiemer.

De 2012 para cá foram cortados 4 mil postos de trabalho na fábrica que hoje emprega 8 mil trabalhadores.

Para as 400 vagas primeiras vagas, a Mercedes-Benz recebeu 12 mil currículos. "Até caiu o site da empresa", informa Luiz Carlos Moraes, diretor de comunicação corporativa.

Fonte : O Estado de S. Paulo/Cleide Silva