[ 8/3/2019 ]
Governo cobra da Ford solução para fábri...

[ 8/3/2019 ]
Foton inaugura nova revenda em São Paulo...

[ 8/3/2019 ]
Venda de importados cai 3% em fevereiro...

[ 8/3/2019 ]
Em São Bernardo, trabalhadores da Ford f...

[ 8/3/2019 ]
Caminhões e ônibus lideram venda de veíc...

[ 8/3/2019 ]
Roberto Cortes tem audiência com o gover...

[ 8/3/2019 ]
Volvo vai limitar carros a 180 km/h a pa...

[ 8/3/2019 ]
Chevrolet Cruze deixa de ser fabricado n...

[ 8/3/2019 ]
Toyota anuncia aposentadoria de Steve St...

[ 8/3/2019 ]
BYD Europa fornecerá 30 ônibus elétricos...

[ 7/3/2019 ]
Trabalhadores da Ford convocam protesto ...

[ 7/3/2019 ]
Vendas de caminhões avança 66% em fevere...

[ 7/3/2019 ]
Mercado de veículos usados segue em alta...

[ 7/3/2019 ]
Mercado reduz expectativa de crescimento...

[ 7/3/2019 ]
Conceito de Indústria 4.0 chega à linha ...

[ 7/3/2019 ]
Programa de inclusão social de Resende g...

[ 7/3/2019 ]
Volvo FH540 assume liderança das vendas ...

[ 7/3/2019 ]
Etios despenca nas vendas com chegada do...

[ 7/3/2019 ]
Bugatti lança o carro mais caro da histó...

[ 7/3/2019 ]
Quem é Carlos Ghosn, executivo brasileir...




 

Data: 6/12/2018

Volkswagen diz que vai desenvolver ônibus elétricos em parceria com empresários do setor
 
A Volkswagen Caminhões e Ônibus anunciou que deve desenvolver, em parceria com empresários que operam os transporte coletivos, um novo modelo de ônibus elétrico para aplicação urbana.

Em entrevista ao Diário do Transporte, o vice-presidente de vendas da marca, Ricardo Alouche, disse que ao apresentar para o mercado o caminhão leve elétrico e-Delivery, frotistas que operam ônibus mostraram para a marca interesse em ter mais opções de ônibus movidos a eletricidade, além das atuais no mercado.

“Nós estamos na vanguarda da tecnologia de elétricos no Brasil. Apresentamos o caminhão elétrico no Brasil no ano passado, que tem tido uma repercussão bastante grande e positiva junto aos clientes. A gente recebe demanda de empresas, querendo ter o ônibus elétrico. Nós apresentamos o Volksbus e-Flex no IAA, há pouco mais de um mês, na Alemanha, e estamos prontos para começar a desenvolver esse ônibus em parceria com empresários, assim como fizemos com os caminhões, nós faremos com os ônibus”, disse Alouche.

Segundo o executivo, o processo será feito de forma gradativa, com testes e aprimoramento de produto. Junto com os clientes, a empresa vai testar o ônibus em sua aplicação real.

Ainda em relação ao segmento de ônibus, Alouche disse que, mesmo com o grupo TRATON, uma sinergia entre marcas, a planta da Volkswagen Caminhões e Ônibus em Resende estuda a fabricação de modelos rodoviários pesados, ampliando a gama da marca no segmento.

“O grupo TRATON envolve as três grandes marcas de caminhões, a Scania, a MAN, a Volkswagen Caminhões e também a marca RIO, empresa de tecnologia e conectividade. Essas marcas trabalham em conjunto, tendo sinergias de processo e desenvolvimento de novos produtos, redução de custos, etc. Frente ao mercado, são marcas de concessionários concorrentes e assim continuará. O plano da Volkswagen continua sendo de ampliar a gama de produtos. Certamente, teremos novas e breves opções para o segmento de rodoviário, onde a Scania já tem produto. Isso é natural dentro do grupo”, afirmou o executivo.

Vendas

A Volkswagen Caminhões & Ônibus diz que as vendas de ônibus da marca cresceram neste ano, entre janeiro e novembro, 51%. O índice é acima da média do mercado, que foi aproximadamente 29%.

Em almoço de confraternização de final de ano com a imprensa especializada, que teve participação do Diário do Transporte, o presidente da Volkswagen Caminhões e Ônibus, Roberto Cortes, disse que, na visão da montadora, a crise foi superada.

“Falo com alívio. O ano de 2018 encerra oficialmente um dos períodos mais sérios da crise da indústria automobilística brasileira”, declarou.

Segundo Cortes, além da recuperação econômica brasileira, o crescimento das vendas de ônibus pode ser explicado por dois fatores pontuais relacionados à marca. A recuperação de frotistas antigos, que não compravam mais ônibus Volkswagen há algum tempo, e as vendas públicas, por licitação, como para o Caminho da Escola, com a possibilidade de vendas entre este e o próximo ano de 3,4 mil unidades.

Outras licitações, como do Ministério do Desenvolvimento Social também foram destacadas pelo presidente da marca.

Sobre a conjuntura do país, Cortes disse que espera do novo governo mais investimentos em infraestrutura para tornar o País mais competitivo e para que haja igualdade de competição com empresas instaladas em outros países.

As exportações de ônibus da marca cresceram 28% entre janeiro e outubro (dado mais recente divulgado pela empresa) enquanto que no mercado geral, houve uma queda de 7%.

Fonte : Diário do Trandporte/Adamo Bazani e Jéssica Marque