[ 20/2/2019 ]
Ford fecha fábrica de São Bernardo do Ca...

[ 20/2/2019 ]
Volkswagen lança T-Cross e anuncia retor...

[ 20/2/2019 ]
Balança comercial tem superávit de US$ 2...

[ 20/2/2019 ]
Governo de São Paulo lança plano para ap...

[ 20/2/2019 ]
Participação do consórcio nas vendas de ...

[ 20/2/2019 ]
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC manife...

[ 20/2/2019 ]
Ford Fiesta sai de linha este ano; fábri...

[ 20/2/2019 ]
Renault registra SUV cupê Arkana no Bras...

[ 20/2/2019 ]
BMW Group Brasil planeja ofensiva de pro...

[ 20/2/2019 ]
Novo T-Cross é mais caro que os rivais...

[ 19/2/2019 ]
Iveco ampliará rede de atendimento no Pa...

[ 19/2/2019 ]
Paccar apurou resultados recordes em 201...

[ 19/2/2019 ]
Economia perde ritmo e deve ter desempen...

[ 19/2/2019 ]
Investimentos em transportes avançam nos...

[ 19/2/2019 ]
Sem impostos, Cruze é mais barato aqui d...

[ 19/2/2019 ]
Fiat Mobi recebe pacote de personalizaçã...

[ 19/2/2019 ]
Daimler Trucks atinge recorde com veícul...

[ 19/2/2019 ]
Vendas de veículos na China recuam pelo ...

[ 19/2/2019 ]
Produtores de biodiesel defendem qualida...

[ 18/2/2019 ]
VWCO domina vendas de caminhões médios...




 

Data: 6/12/2018

Venda de seminovos até 3 anos despenca, enquanto a dos demais usados cresce
 
A demanda crescente por modelos com mais de 4 anos de uso tem compensado este ano a acentuada queda na venda de seminovos, aqueles com até 3 anos. O resultado desses dois movimentos é um mercado de usados praticamente estável, com 12,99 milhões de unidades comercializadas de janeiro a novembro contra as 12,88 milhões no mesmo período de 2017, ou seja, uma alta inexpressiva de 0,9%.

Os dados foram divulgados ontem, pela Fenauto, Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores. O estudo contempla carros, comerciais leves, pesados e motos, com segmentação apenas por tempo de uso. No caso dos seminovos, as vendas limitaram-se a 2,22 milhões de unidades este ano, ante total de 4,81 milhões nos primeiros onze meses de 2017. Uma expressiva queda de 53,7%.

Já a demanda por modelos com 4 anos de uso ou mais teve alta de 33,4%. Foram 10,76 milhões de unidades vendidas até novembro contra 8 milhões no mesmo período do ano passado. Dentre os segmentos pesquisados, o que mais cresceu foi o dos veículos com 9 a 12 anos de uso, chamados pela Fenauto de usados maduros. Nesse caso a expansão foi de 52,5%, com 2,49 milhões de unidades vendidas este ano ante o total de 1,63 milhões do mesmo período de 2017.

De acordo com a Fenauto, a retração no mercado de seminovos este ano deve-se em grande parte ao comportamento do mercado de novos no período de 2014 a 2016. Como as vendas de zero-quilômetro despencaram naquele período, a oferta de seminovos atualmente é proporcionalmente baixa. Também naquele período o movimento do mercado era o inverso de hoje. Enquanto a procura por novos despencava, a pelos seminovos crescia em índice acima dos demais veículos usados.

A entidade também divulgou os número de novembro, que em todos os casos indicam queda com relação a outubro, o que é atribuído ao menor número de dias úteis no mês passado. As vendas de usados caíram 11,5% nesse comparativo, com total de 1,15 milhão de unidades comercializadas no mês passado contra 1,29 milhões no anterior.

Fonte : AutoIndústria/Alzira Rodrigues